Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Curiosidades e Conhecimento
Sexta-feira, 3 jul 2009 - 12h09

Pesquisadores estudam planta que cresce em deserto de Israel

Cientistas israelenses da Universidade de Haifa descobriram como uma uma planta consegue crescer e florescer nas montanha do deserto do Negev. A planta da família Rheum palaestinum, conhecida na região como ruibarbo, é comum nas áreas desérticas de Israel e da Jordânia e vinha intrigando os pesquisadores.

Um estudo mostrou que a planta utiliza suas grandes folhas verdes para captar a água da chuva escassa e conduzi-las às raízes. Elas sobrevivem em áreas onde a média anual de chuva é de 75 mm.

Os cientistas Simja Lev-Yadon, Gidi Neemán e Gadi Katzir, autores do estudo, concluíram que esse tipo de planta pode absorver 16 vezes mais água que outras plantas de deserto.

"Trata-se do primeiro caso no mundo de uma planta que irriga a si mesma. Não conhecemos outra que atue da mesma maneira", afirmou o botânico Gidi Neeman.

As folhas grandes que podem chegar a 1 metro chamaram a atenção dos cientistas durante anos, pois nos desertos é comum que as plantas tenham folhas pequenas ou até reduzidas a espinhos para evitar a perda de água.

Outra descoberta interessante foi a de uma estrutura expecional de canaletas nas folhas, que lembra a topografia de uma cordilheira. Os sulcos funcionam como um sistema de canalização da água.

Através de experimentos, os pesquisadores constataram que o ruibarbo consegue captar mais de 43 litros de água, enquanto outras plantas do deserto só consegem captar 4 litros apenas da chuva que cai no solo perto de suas raízes.


Foto: Ampliação mostra um detalhe do ruibarbo do deserto, onde se nota a topografia montanhosa em forma de cordilheira. Crédito: Universidade de Haifa/Simja Lev-Yadon/Gidi Neemán/Gadi Katzir.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire