Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Clima e Meteorologia
Sábado, 18 set 2010 - 08h14

Concentração de poluentes na Índia é maior na época das monções

Um novo estudo utilizando dados captados pelo satélite Terra da Nasa permitiu aos cientistas analisarem a concentração, disposição e composição de poluentes sobre o subcontinente indiano. Até então, imagens de satélite convencionais não conseguiam revelar esses detalhes. A agência espacial americana obteve os dados através do instrumento MISR, um espectro-radiômetro multi-angular, capaz de mapear informações sobre o clima na Terra.

Taj Mahal ofuscado por Poluição

O estudo é baseado em dados de uma década e documenta os níveis elevados de poluentes aerossóis naturais e produzidos pelo homem relacionados às mudanças sazonais na região. A concentração de poluentes varia muito conforme a estação do ano. No mapa, as áreas mais poluídas são representadas em vermelho e aparecem principalmente na época das chuvas de monções, que em geral começam em junho e terminam em outubro. Nesta época faz muito calor na Índia.

Larry Di Girolamo e Sagnik Dey, cientistas da Universidade de Illinois analisaram exaustivamente a superfície indiana, uma região densamente povoada e com má qualidade do ar. Os aerossóis, pequenas partículas suspensas no ar são produzidos tanto por fontes naturais, como o pólen e poeira carregados pelo vento, como pelas atividades humanas, quando liberados pela queima de combustíveis fósseis. Em alta concentração, esses poluentes causam sérios danos à saúde.

Estudo da Poluição na India

Girolamo e Dey utilizaram o MISR para distinguir a variabilidade da superfície atmosférica e medir a quantidade de partículas suspensas. A tecnologia do instrumento permite ainda diferenciar as partículas naturais das produzidas pelo homem.

O resultado é que foram encontrados altos nível dos dois tipos de poluentes aerossóis, tanto os naturais como os produzidos pelo homem. O nível de poluição atmosférica na maior parte da Índia ficou 2 a 5 vezes maior do que os padrões da Organização Mundial da Saúde.


A mudança das estações
Os pesquisadores também tiveram revelações surpreendentes. Eles notaram que um pouco antes da época das monções o ar fica muito poluído. Isto porque, os ventos fortes carregam uma imensa quantidade de poeira na África, na Península Arábica e na Índia, que somada a outros poluentes degradam a qualidade do ar.

Já durante a época das chuvas, a poeira e a fuligem se dispersam, mas ainda resta o acumulo de outros poluentes gerados pelas atividades humanas.

Passando a época das monções, o transporte de poeira é reduzido e durante o inverno a brisa ajuda a dispersar grande parte dos poluentes em direção ao mar, fechando ciclo das estações no país. Segundo os cientistas, essas observações vão contribuir muito para ajudar a validar modelos atmosféricos.

"Estamos descobrindo que, em uma área complexa como a Índia, nós temos um longo caminho a percorrer. Mas estas observações ajudam nos dar alguma orientação”, disse Di Girolamo.

O MISR vai continuar recolhendo esse tipo de material ao redor do mundo e no futuro um estudo da concentração de aerossóis poderá ser comparado com dados de clima e a saúde.


Artes: No topo, monumento Taj Mahal, ofuscado por uma densa camada de poluição. A obra foi feita entre 1630 e 1652 com a força de cerca de 20 mil homens. Na sequencia, dados coletados pelo espectro radiômetro multi-angular (MISR), instrumento do satélite Terra da Nasa revelaram a concentração de poluentes aerossóis sobre o subcontinente indiano e como ele varia a cada estação do ano. As áreas mais poluídas estão representadas em vermelho. Crédito: Creative Commons / Nasa /JPL e Universidade de Illinois.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O segredo em negócios é saber alguma coisa que mais ninguém sabe." - Aristóteles Onassis