Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Quarta-feira, 28 mai 2014 - 11h06

Contagem Regressiva: Cometa 67P já está na mira da sonda Rosetta

Depois de acordar de um longo período de hibernação, a sonda europeia Rosetta só tem agora um objetivo pela frente: interceptar, orbitar e pousar na superfície do cometa o 67P/Churyumov-Gerasimenko. E o momento está chegando.

Cometa 67P registrado pela sonda Rosetta
Clique para ampliar

Rosetta foi lançada em 2 de março de 2004 a partir da base de Kourou, na Guiana Francesa e está programada para interceptar a orbita do cometa em agosto de 2014, quando passará a orbita-lo a uma altitude mínima de apenas 25 km. Mas não é só isso.

Em orbita, Rosetta fará uma análise geológica do cometa em busca de um local relativamente plano. o objetivo será pousar ali a nave Philae, um robô de 100 quilos que estudará 67/P a partir de sua superfície. O pouso de Philae está previsto para novembro.


Estilingadas Gravitacionais
Para atingir seu objetivo, desde que foi lançada Rosetta recebeu algumas "estilingadas gravitacionais" da Terra e de Marte, que a ajudaram a ganhar mais velocidade. A primeira estilingada foi em 4 de março de 2005, quando a Terra arremessou a sonda em direção a Marte, que a mandou de volta ao nosso planeta em 25 de fevereiro de 2007.

Em setembro de 2008 a nave sobrevoou o asteroide 2867 Steins e no final de 2009 Rosetta passou novamente pela Terra, quando recebeu um novo impulso gravitacional que a arremessou em direção ao asteroide 21 Lutetia.

Após o estudo de Lutetia e Steins, situados na região conhecida como "cinturão de asteroides", localizado entre as órbitas de Marte e Júpiter, Rosetta entrou em modo de hibernação, com o computador de bordo parcialmente ativado. Em 20 janeiro de 2014 a nave deixou o modo de hibernação e retomou as operações que a levarão até o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko


Desde que foi lançada, Rosetta já orbitou o Sol por cinco vezes e segundo os responsáveis pelo projeto, essa é a mais complexa exploração de um cometa jamais vista.


No alvo
Rosetta segue seu caminho de forma totalmente natural, seguindo uma orbita mantida estável pelas leis da natureza. As correções necessárias serão feitas apenas durante a fase de aproximação.

Entre os dias 27 de março e 4 de maio de 2014, as câmeras a bordo da sonda enxergaram pela primeira vez o seu alvo e registraram uma bela sequencia de 9 frames do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, na ocasião distante 5.2 milhões de quilômetros.

Na cena, 67P se move entre as estrelas de fundo entre as constelação da Serpente e o aglomerado M107. A coma, visível na última foto da sequencia, se estende por cerca de 1300 quilômetros no espaço enquanto o núcleo mede cerca de 4 quilômetros de diâmetro.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ningém que não entenda." - Cecília Meireles