Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Astronomia
Sexta-feira, 2 ago 2013 - 09h35

Meteorito que caiu na Rússia era parte de asteroide já conhecido

Um novo estudo mostra que o meteorito que caiu na cidade russa de Chelyabinsk no início do ano não era totalmente desconhecido. O objeto pode ter sido um dos inúmeros fragmentos do asteroide 2011 EO40, detectado dois anos antes e que ainda está orbitando o Sol.

Meteoro da Rússia
Clique para ampliar

No dia 15 de fevereiro de 2013, uma super bola de fogo rompeu o céu da pequena cidade de Chelyabinsk, na região central da Rússia, provocando uma violenta onda de choque que destruiu diversas construções e deixou centenas de pessoas feridas. Esse foi o maior acidente provocado por uma rocha espacial a atingir a Terra desde o evento de Tunguska, em 1908.

A queda do meteorito levantou uma série de suspeitas de que o objeto poderia ser algum fragmento pertencente ao asteroide 2012 DA14, que naquele mesmo dia fez uma aproximação verdadeiramente rasante do nosso planeta. No entanto, a órbita do asteroide e o ângulo de entrada do bólido eram completamente diferentes e essa possibilidade foi logo afastada.

Agora, utilizando métodos estatísticos e diversas simulações em computadores, os pesquisadores Carlos e Raul de la Fuente Marcos, da Universidade Complutense de Madrid, concluíram que a rocha de 10 mil toneladas que atingiu Chelyabinsk pode ter como origem o asteroide 2011 EO40 de 200 metros de comprimento, que já havia sido detectado dois anos antes e era classificado pelos cientistas como "Potencialmente Perigoso".

Para chegar a essa conclusão, a dupla de pesquisadores simulou diversas orbitas hipotéticas que cruzassem o caminho da Terra no momento da queda do meteoro. Em seguida buscaram na base de dados os asteroides que se encaixavam dentro dessas orbitas e encontraram como candidatos mais prováveis os objetos 2011 EO40 e 2007 BD7, sendo este último posteriormente descartado.

De posse desses dados, os irmãos Fuente Marcos simularam a desintegração de um objeto com o tamanho de 2011 EO40 e através do método estatístico conhecido como Monte Carlo concluíram que o asteroide poderia produzir fragmentos similares ao que atingiu Chelyabinsk, inclusive com hora e ângulo de impacto compatíveis.

2011 EO40 é um asteroide de 200 metros de comprimento pertencente à classe Apolo, cujas órbitas estão localizadas próximas à da Terra e portanto são candidatos potenciais a uma colisão com nosso planeta.

Se as afirmações dos Fuente Marcos estiverem corretas, 2011 EO40 não é uma rocha sólida, mas um aglomerado de fragmentos muito frágeis que ainda estão orbitando o Sol.

Na opinião dos cientistas, somente com novas observações será possível afirmar se 2011 EO40 pode ainda oferecer risco de novas colisões.

Para Jorge Zuluaga, que também vem estudando o impacto de Chelyabinsk junto à Universidade de Antioquia, na Colômbia, 2011 EO40 não representa mais ou menos risco que os outros objetos potencialmente perigosos já catalogados, mas que serão necessários novos estudos e observações para afirmações mais conclusivas.


Fotos: No topo, meteorito flagrado no instante em que caía sobre a cidade russa de Chelyabinsk, em 15 de fevereiro de 2013. Na sequência, vídeo da entrada do meteoro e simulação mostrando a passagem do bólido sobre a região central da Rússia. Crédito: reproduções da internet, AGI View, Apolo11.com.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O segredo em negócios é saber alguma coisa que mais ninguém sabe." - Aristóteles Onassis