Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Incêndios Florestais
Acre, Brasil, 20 Set 2005

Satélite Aqua detecta Intensas queimadas no Acre

Nesta imagem de resolução moderada - MODIS - feita no dia 20 de setembro de 2005 pelo satélite Aqua, vemos claramente a profusão de queimadas, destacadas em vermelho, que atingem fortemente o estado do Acre, em especial a capital Rio Branco.

Pela imagem, grande parte dos incêndios localizam-se próximos às cidades de Xapuri, Brasiléia, Assis Brasil e Plácido de Castro, no sudeste acreano. No noroeste do estado, diversos focos podem ser vistos próximos à Cruzeiro do Sul.

Na parte inferior da imagem vemos que muitos pontos de calor que se espalham pela Bolívia e no canto superior esquerdo, já em território peruano, um forte aglomerado térmico pode ser detectado.

Cerca de cem homens estão diretamente envolvidos no combate ao incêndio florestal que o Acre enfrenta, mas o número ainda é insuficiente e não há condições materiais para as outras equipes trabalharem, segundo o assessor especial da Diretoria de Proteção Ambiental do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio-Ambiente e Recursos Naturais Renováveis, Kleber Alves.

Sobre a área tomada pelo fogo, Kleber Alves explicou que não há como mapear toda a extensão do incêndio, uma vez que se trata do chamado "fogo sub-bosque", que avança sob a copa das árvores. "Só vamos poder ter uma noção de impacto do incêndio dentro de alguns dias pelas medições, pelo trabalho que está sendo iniciado na região", diz.

"Nós estamos buscando o controle do incêndio florestal, mas, a extinção mesmo só será possível com a vinda das chuvas e o aumento da umidade relativa do ar na região de floresta, que, na semana passada, chegou à inacreditável marca de apenas 20%", disse Kleber.

"Na região de floresta, chegar a 20% de umidade relativa do ar é algo extremamente raro", observou.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire