Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Mudanças Climáticas
Segunda-feira, 27 jun 2005 - 06h42

Especialistas afirmam que aquecimento climático será maior na França

O aquecimento climático causado pelo aumento da concentração de emissões de gases do ´efeito estufa´ será mais sentida na França do que em relação à escala mundial. Isso já poderia acarretar em aumentos da temperatura média no país de quatro a sete graus neste verão.

Esta é uma das principais conclusões do primeiro relatório divulgado nesta sexta-feira pelo Observatório Nacional de Efeitos do Aquecimento Climático (Onerc), ligado ao Ministério de Ecologia da França.

No inverno, o aquecimento poderia ser menos sentido, entre dois e quatro graus na França, segundo o Onerc, que ressalta que o reaquecimento constatado na França continental é 50% maior que o global.

"A temperatura média anual aumentou (na França) um grau centígrado, frente a 0,6 grau no globo", assinalam os autores do documento. Os cientistas ressaltam que, caso esta situação permaneça, um reaquecimento global de dois graus poderia significar uma ascensão de três graus na França.

O fato de que o aumento da temperatura seja maior no verão que no inverno permite prever que se repetirão ondas de calor como a de agosto de 2003, que provocou a morte de aproximadamente 15 mil pessoas na França. Os especialistas lembram que estas previsões não são válidas apenas para a França, mas para toda a Europa, o que coincide com o último relatório da Agência Européia para o Meio Ambiente.

Uma das conseqüências da mudança climática será "um agravamento geral dos eventos extremos em grande escala" como inundações e secas, que poderão afetar amplas regiões. Além disso, serão mais imprevisíveis os eventos de curta duração e forte intensidade, como as tempestades, os vendavais ou os ciclones.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O orçamento é uma conta que se faz para saber como aplicar o dinheiro que já se gastou" - Barão de Itararé