Terça-feira, 16 jul 2013 - 08h51
Por Rogério Leite

Antigas fotos do telescópio Hubble revelam nova lua de Netuno

Cientistas do Hubble Space Telescope anunciaram nesta semana que o planeta Netuno tem mais uma lua, elevando para 14 o número de satélites a orbitar o gigante gasoso. O objeto é tão pequeno que nem a passagem da Voyager 2 em 1989 conseguiu percebê-lo.

S/2004 N1 - Nova lua de Netuno
Clique para ampliar

O anúncio da nova descoberta foi feito após uma reanálise das fotos de arquivos feitas pelo telescópio espacial entre 2004 e 2009. De acordo com os pesquisadores, a nova lua aparece em apenas 150 entre as milhares de fotos feitas durante este período.

Batizada de S/2004 N1, a nova lua tem cerca de 19 quilômetros de comprimento e completa uma volta ao redor de Netuno em apenas 19 horas.

É tão rápida e pequena que passou completamente despercebida durante a visita neptuniana da nave interplanetária Voyager 2 em 1989, quando as imagens da sonda revelaram seis luas ao redor do planeta azul.

"As luas e os seguimentos de anéis de Netuno orbitam muito rapidamente, então tivemos que criar um jeito de seguir os movimentos individuais de alguns objetos para que pudéssemos ver mais detalhes", explicou o pesquisador Mark Showalter, ligado ao Instituto SETI e descobridor da nova Lua. "Fizemos o mesmo que os fotógrafos de esportes fazem ao perseguir o seu alvo", disse Showalter.

De fato, a detecção de um objeto tão pequeno e pouco brilhante não é uma tarefa fácil. O novo objeto se localiza a 4.5 bilhões de quilômetros do Sol e nesta distância seu brilho se torna 100 milhões de vezes menor que a mais tênue estrela que podemos ver no firmamento.

Antes de S/2004 N1, a menor lua de Netuno era Psámata, descoberto em 2003 por Scott S. Sheppard e David C. Jewitt, com apenas 28 quilômetros de comprimento.

Coma descoberta de S/2004 N1, que ainda não recebeu nome formal, o número de luas ao redor de Netuno sobe para 14, sendo que a maior delas - Tritão - tem 2700 quilômetros de diâmetro.

Tritão é a maior lua de Netuno e possivelmente o astro mais frio do sistema solar, com temperatura estimada em -235°C. O objeto foi visto pela primeira vez em 1845 por William Lassell, 17 dias após o descobrimento do próprio planeta Netuno.


Arte: Mosaico de objetos registrados pelo telescópio Hubble mostra o planeta Netuno cercado de arcos (fragmentos de anéis) e alguns satélites. S/2004 N1 aparece no canto superior direito, em imagem registrada em 2009 com a câmera grande angular (Wide Field Camera 3) do telescópio espacial. Crédito: NASA, ESA, SETI, Apolo11.com
roger

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O homem tem de estabelecer um final para a guerra, senão a guerra irá estabelecer um final para a humanidade" - John Kennedy