Sexta-feira, 11 jan 2008 - 09h45

Após 33 anos, sonda americana se aproxima de Mercúrio

Que Mercúrio é o planeta mais perto do Sol todo mundo sabe. É também um planeta pequeno, o menor do sistema solar. Seu diâmetro é um pouco menor que a metade da Terra e ao contrário do que muitos pensam, Mercúrio não é um planeta vermelho. Seu nome é atribuído aos romanos em homenagem ao veloz mensageiro dos deuses, já que parecia mover-se no céu mais depressa do que qualquer outro objeto.

De todos os planetas do sistema solar é o que menos foi visitado e seu estudo direto através de telescópios é muito prejudicado devido à proximidade do Sol. Só pode ser visto antes ou depois do nascer e pôr-do-Sol, e nestas ocasiões está tão baixo no horizonte que sua luz refletida tem que passar por uma camada muito densa de atmosfera, o que prejudica ainda mais sua observação.

Mercúrio não é fácil de ser estudado e para ampliar um pouco mais o conhecimento que os cientistas têm sobre ele, a agência espacial americana, Nasa, enviou para lá em agosto de 2004, uma sonda especializada. E ela já está chegando.

Na próxima segunda-feira, a sonda interplanetária Messenger iniciará a primeira fase de seu objetivo de exploração e será a primeira nave terrestre a visitar o planeta Mercúrio nos últimos 33 anos. A aproximação da sonda permitirá captar imagens em alta resolução, que revelarão detalhes da superfície nunca vistos anteriormente. Segundo os cientistas envolvidos no projeto, os dados permitirão novas teorias e principalmente responder velhas questões relacionadas ao sistema solar.

A nave Messenger será a primeira missão a entrar em órbita de Mercúrio. As órbitas ao redor do planeta começarão definitivamente em 2011, mas antes disso a sonda realizará três aproximações que chegarão a menos de 200 quilômetros da superfície rochosa e coberta de crateras.

As imagens que começarem a chegar na próxima segunda-feira (14) serão captadas por câmeras altamente sofisticadas, ao mesmo tempo em que os instrumentos de bordo coletarão uma infinidade de novos dados. Durante esta aproximação está programada a captura de pelo menos 1212 imagens em diversos comprimentos de onda.


Nova Exploração
A última vez que uma nave chegou tão perto de Mercúrio foi em 16 de março de 1975, durante a terceira aproximação da Mariner 10, também da Nasa. Naquela ocasião a sonda observou apenas um dos hemisférios do planeta.

"Essa é uma nova exploração científica e o suspense está aumentando dia a dia", disse Alan Stern, um dos mais respeitados cientistas da Nasa e diretor para missões científicas da agência. "O que a Messenger irá fotografar? Na segunda-feira teremos as respostas", completou.

A aproximação dessa segunda-feira, além de proporcionar os dados científicos, também providenciará o conhecido "impulso gravitacional", que arremessará a sonda para longe de Mercúrio. Esse impulso é fundamental para que a Messenger retorne ao planeta em 2011, iniciando o maior estudo já realizado do planeta.


Estudo avançado
Esta primeira aproximação também coletará dados inéditos e essenciais. Segundo Sean C. Solomon, principal cientista do projeto ligado à instituição Carnegie, de Washington, será a primeira vez que veremos o outro hemisfério através de uma sonda espacial. "As imagens serão feitas em diversos comprimentos de onda, assim poderemos começar a ter uma idéia da composição da superfície de Mercúrio", disse o pesquisador.

Uma das regiões de maior interesse é a bacia Caloris, uma cratera de impacto de 1400 quilômetros de diâmetro e uma das maiores bacias de impacto do sistema solar.

"Caloris é imensa. Tem um quarto do diâmetro de Mercúrio, com anéis de montanhas que se erguem a mais de 3 quilômetros de altura", disse Louise Prockter, cientista do instituto de física aplicada da universidade Johns Hopkins da e responsável por um dos principais sensores de captação de imagens da Messenger. "A Mariner 10 escaneou pouco menos da metade da cratera. Durante esta aproximação captaremos imagens do outro lado", explicou a especialista.

Além de imagens, os instrumentos a bordo da Messenger também providenciarão as primeiras análises minerais e da composição química da superfície de Mercúrio. Além disso, sensores estudarão o campo magnético do planeta e ampliarão as informações coletadas pela Mariner 10 sobre seu campo gravitacional, permitindo aos cientistas especularem sobre a formação e composição do núcleo do planeta.

Outras observações serão feitas para estudar a tênue atmosfera do planeta e sua magnetosfera. De resto, é só aguardar pela segunda-feira, quando as primeiras imagens em alta resolução começarem a pipocar nas TVs, jornais e logicamente aqui, no Apolo11.com. Não perca!

Fotos: Duas imagens feitas pela Mariner 10 em 1975. No topo, vista parcial de um dos hemisférios do planeta, mostrando uma das faces ilumindas pelo Sol. Acima, imagem colorizada revela evidências de que diferentes superfícies apresentam diferentes composições. Créditos: Nasa/f M. S. Robinson (Robinson and Lucey, Science, 1997).

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O homem tem de estabelecer um final para a guerra, senão a guerra irá estabelecer um final para a humanidade" - John Kennedy