Segunda-feira, 4 abr 2005 - 07h45

Astrônomos capturam imagem de planeta de fora do sistema solar

Finalmente os astrônomos conseguiram obter a primeira fotografia de um planeta além do nosso sistema solar.

Orbitando uma estrela similar ao nosso sol, acredita-se que sua a massa possa ser até duas vezes maior que a de Júpiter.

A estrela GQ Lupi vem sendo observada por uma equipe de astrônomos europeus desde 1999, que fizeram três imagens usando o Telescópio de Abertura Muito Larga (VLT) pertencente ao European Southern Observatory, no Chile, auxiliado pelo telescópio espacial Hubble e pelo telescópio japonês Subaru. O trabalho de observação foi coordenado por Ralph Neuhaeuser, do Instituto de Astrofísica e Observatório Universitário, dos EUA.

"A detecção de um débil objeto próximo à estrela é certa", disse Neuhaeuser.

O sistema é jovem, de modo que o planeta ainda está um pouco aquecido, como um pão fresco que acaba de sair do forno. Esse calor facilitou sua observação, pois diminui o ofuscamento causado pela estrela que orbita. Outro fator que facilitou as imagens foi sua distância da estrela-mãe, ao redor de 100 vezes a distância entre a Terra e o Sol. Essa distância permitiu separar a luz dos dois objetos.

A descoberta será detalhada em breve nas próximas edições do jornal Astronomy & Astrophysics. A co-autoria da descoberta inclui, além de Neuhaeuser, Guenther Wuchterl e Markus Mugrauer, que fez as observações.

"Esta é a primeira imagem feita diretamente do planeta e que orbita uma estrela parecida com nosso sol. Além disso, marca o início de uma nova era na detecção de planetas", disse Ray Jayawardhana, um pesquisador da Universidade de Toronto, no Canadá, que não está diretamente envolvido no projeto, mas tem acompanhado os trabalhos científicos de Neuhaeuser.

Marcos recentes
Durante a última década, os astrônomos descobriram aproximadamente 150 planetas extrasolares. A grande maioria deles foi detectada indiretamente, através da tênue mudança de intensidade na luz emitida pela estrela-mãe.

No início de fevereiro de 2005, os astrônomos anunciaram a detecção da luz infravermelha de outro planeta, utilizando o telescópio espacial Spitzer. Mas essa observação não envolveu o uso de fotografia. Ao contrário, foi feita durante um eclipse, quando a luz refletida do planeta foi ofuscada pela da estrela.

No final de 2004, outra equipe européia anunciou o que pode ter sido a primeira fotografia de um planeta extrasolar. O planeta candidato ainda está para ser confirmado, no entanto, ainda não está claro se ele está de fato orbitando a estrela próxima ou se é um objeto detectado muito distante, ao fundo. Se de fato for um planeta, seria de tamanho incomum, muitas vezes maior que Júpiter, e estaria orbitando uma estrela em extinção, conhecida como anã-marrom.

Já o planeta que orbita a estrela GQ Lupi está claramente preso gravitacionalmente a ela.

"A separação entre a estrela e o planeta não mudou entre 1999 e 2004, o que significa que ambos os objetos estão se movendo juntos no espaço", disse Neuhaeuser. "Em nosso caso, temos uma imagem normal, que mostra a estrela brilhante e o planeta, um pouco esmaecido, ligeiramente a oeste da estrela. O planeta é somente 156 vezes mais esmaecido que a estrela, pois é ainda muito jovem e conseqüentemente ainda está se formando, se contraindo".

Segundo Jayawardhana, esse objeto parece "ter passado nos testes" de observação para que seja considerado uma massa planetária em órbita de uma estrela-mãe.

Familiar ainda que diferente
As imagens da estrela GQ Lupi estão excitando os astrônomos, já que o sistema lembra em alguns aspectos a formação do nosso sistema solar.

A temperatura do planeta é de aproximadamente 1700 graus Celsius, de modo que não há expectativa de que possa haver vida no local. A equipe de Neuhaeuser também parece ter descoberto água na atmosfera do planeta, que se acredita, seja gasoso como Júpiter e com quase o dobro do seu diâmetro. Sua massa também é incerta, mas é estimada em uma ou duas vezes a de Júpiter.

A distância do planeta da estrela-mãe GQ Lupi é três vezes maior que a distância de Netuno ao Sol. Segundo Neuhaeuser, seu período orbital é de aproximadamente 1200 anos terrestres.

"A estrela GQ Lupi faz parte de uma região com estrelas me formação, a 400 anos-luz de distância e tem 70% da massa do Sol, sendo muito similar a este", disse Neuhaeuser. No entanto GQ Lupi tem somente 1 milhão de anos enquanto o Sol é uma estrela de meia idade, com 4.6 bilhões de anos.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O homem tem de estabelecer um final para a guerra, senão a guerra irá estabelecer um final para a humanidade" - John Kennedy