Quarta-feira, 27 set 2006 - 08h48

Britânicos confirmam a descobertas de mais dois planetas

Cientistas britânicos confirmaram ontem a descoberta de dois novos planetas fora do sistema solar. Os novos objetos se localizam nas constelações de Delphinus e Andrômeda.

A descoberta dos planetas é parte do projeto SuperWasp, onde telescópios equipados com intrumentos sensíveis e câmeras térmicas (foto) analisam as estrelas, com a finalidade de detectar pequenas variações de brilho que podem identificar a passagem de um planeta.

Após terem discriminarem diversos candidatos a planeta, os cientistas enviaram os dados ao observatório de Haute-Provence, na França, onde foram submetidos ao moderno espectrógrafo Sophie. Após cuidadosas análises, foi confirmada a existência dos dois objetos, agora batizados de Wasp-1b e Wasp-2b.

De acordo com Andrew Collier Cameron, da Universidade de St. Andrews, foi necessário pesquisar mais de 1 milhão de estrelas, que passaram por vários estágios de filtragem. "É como garimpar ouro", disse Cameron.


Altas temperaturas
Os planetas recém descobertos localizam-se respectivamente a 500 e 1000 anos-luz de distância da Terra e de acordo com os cientitas, são planetas gigantes, similares a Júpiter, mas que giram muito próximo da estrela principal. Devido à essa proximidade, são chamados de "júpiters quentes".

Apesar de ambas as estrelas, em Andrômeda e Delphinus, serem muito fracas para serem vistas a olho nú, podem ser reparadas com um pequeno telescópio.

Ao contrário de Júpiter, que leva 12 anos para dar uma volta completa ao redor do Sol e situa-se a mais de 700 milhões de quilômetros desde seu centro, os novos objetos estão a poucos milhões de quilômetros da estrela e completam uma volta em poucos dias.

Devido a essas caracterísiticas, Wasp-1b e Wasp-2b atingem temperaturas de aproximadamente 1800ºC. Isso os coloca entre os mais quentes planetas extra-solares já descobertos, cerca de 200 até agora.


SuperWasp
Wasp significa "Wide Angle Search for Planets" ou "Busca planetas em Ângulo Largo" e o mais recente instrumento usado no projeto tem 8 lentes e câmeras CCD de alíssima definição. Atualmente existem dois intrumentos, um nas Ilhas Canárias, na Espanha, e outro na África do Sul. O sistema conjunto cobre todo o céu.

A confirmação da descoberta dos novos planetas foi feita pelo espectrógrafo Sophie, que detectou uma leve mudança na velocidade da estrela principal, causada pela gravidade dos objetos.

"A parceria entre os dois instrumentos é especialmente poderosa. Equanto o SuperWasp encontra os candidatos a planeta e determina seu raio, Sophie confirma sua natureza e peso", disse um dos cientistas do projeto, Don Pollaco, da Universidade de Queen’s, em Belfast.

Foto: A imagem acima mostra um dos métodos usados na descoberta de novos planetas, conhecido como "trânsito". Quando um planeta passa na frente da estrela principal, causa uma pequena alteração de brilho, detectada por instrumentos mais sensíveis. Na image, Vênus passa à frente do Sol. Na outra imagem vemos 4 câmeras montadas em um dos arranjos do projeto Wasp.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Amargas são as lágrimas derramadas, mas ainda mais amargas são as que não se derramam" - Provérbio irlandês