Quinta-feira, 07 mai 2009 - 09h53

Chega ao fim principal missão do telescópio Spitzer

Após cinco anos e meio realizando observações do cosmos, a missão primária do telescópio espacial Spitzer chega ao fim. No próximo dia 12 de maio os engenheiros da Nasa enviarão um comando ao telescópio, obrigando o equipamento a esvaziar o restante do hélio líquido usado para refrigerar os instrumentos.

Segunda a Nasa, com o término da missão primária terá início uma nova era para o telescópio, com dois canais de um dos detectores trabalhando a toda capacidade. Alguns dos estudos explorados serão os mesmos enquanto outros serão inteiramente novos.

Zero absoluto
Spitzer é um telescópio espacial que trabalha no comprimento de onda do infravermelho, detectando as variações de temperatura dos objetos estudados. Para isso o instrumento deve manter os detectores resfriados a -271 graus Celsius, apenas 3 graus acima do zero absoluto, a menor temperatura teórica que se pode atingir. No caso do Spitzer, seu sistema de resfriamento foi projetado para durar dois anos e meio, mas seu desenho altamente eficiente garantiu que as operações se prolongassem pelo dobro do tempo.

Após o esvaziamento do tanque de hélio líquido sua temperatura se elevará a -242 graus Celsius. Com a elevação de temperatura dois dos instrumentos a bordo do observatório deixarão de funcionar e não poderão mais detectar os frios objetos no espaço: o fotômetro imageador multibanda e o espectrógrafo infravermelho.

No entanto, outros dois detectores no espectro infravermelho continuarão a operar perfeitamente e conseguirão registrar uma grande gama de objetos, entre eles os asteróides do nosso sistema solar, poeira estelar, discos planetários, gigantes gasosos e galáxias distantes.

Grandes Telescópios
Spitzer é o último dos grandes observatórios da Nasa, um conjunto de telescópios projetados para enxergar o universo tanto nos comprimentos de onda visíveis como nos espectros invisíveis. Do conjunto também fazem parte o telescópio espacial Hubble e o telescópio Chandra.

Foto: Galáxia espiral NGC 2841 registrada pelo telescópio espacial Spitzer. A galáxia se localiza a 46 milhões de anos-luz da Terra, na constelação da Ursa Maior. Crédito: NASA/JPL-Caltech.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Os homens deveriam fazer com suas esperanças o que fazem com suas galinhas: cortar suas asas para que não possam fugir voando" - Lorde Halifax