Quinta-feira, 10 abr 2008 - 11h00

Cientistas descobrem novo planeta a apenas 30 anos-luz da Terra

Cientistas espanhóis anunciaram no início desta semana a descoberta de mais um planeta extrasolar, distante apenas 30 anos-luz da Terra, orbitando a constelação de Leão. Ano-Luz é a distância que a luz leva para percorrer em um ano e equivale a 9.5 trilhões de quilômetros. Segundo os pesquisadores, o planeta é do tipo terrestre, mas com massa 5 vezes maior e é, segundo seus descobridores, o menor exoplaneta já descoberto. Seu dia completo é de aproximadamente 21 dias terrestres.

A descoberta foi feita pela equipe do CSIC, o conselho de pesquisas da Espanha em conjunto com o pesquisador Jean-Philippe Beaulieu, astrofísico ligado ao University College London, UCL.

As simulações, feitas através de modelos matemáticos, mostram que o exoplaneta, agora chamado GJ 436c, orbita a estrela GJ 436 em apenas 5.2 dias terrestres e uma revolução completa leva 4.2 dias terrestres. Na Terra uma órbita completa demora 365 dias e uma revolução leva 24 horas.

Um dia terrestre completo, de um pôr-do-sol a outro, praticamente coincide com o próprio período de rotação. No novo planeta estes períodos não coincidem, uma vez que os tempos de translação e rotação são muito similares. Assim, um dia completo em GJ 436c pode levar aproximadamente 4 anos do planeta ou aproximadamente 21 dias terrestres.

O estudo, publicado esta semana no Astrophysical Journal, prevê a presença de um pequeno exoplaneta perturbando outro planeta interno, já conhecido e do mesmo sistema, produzindo alterações na sua órbita. A análise da velocidade radial também permitiu a identificação de uma assinatura que condiz com as simulações e que indicam um novo objeto em ressonância com o planeta interno. As simulações mostram que o novo objeto completa uma órbita para cada duas órbitas do planeta interno.

"Após a confirmação final o novo exoplaneta deverá ser o menor encontrado até hoje", disse Ignasi Ribas, cientista responsável pelo estudo no CSIC. "Este é o primeiro exoplaneta que identificamos a partir das perturbações causadas em outro objeto do mesmo sistema. Isso abre novas possibilidades de descobertas de exoplanetas similares à Terra", explicou.


Super-Terra
"Este é o quarto planeta do tipo super-Terra já descoberto", disse Beaulieu. O planeta é o irmão gêmeo e quente do gelado OGLE-2005-BLG-390lb, outro exoplaneta super-Terra descoberto pela mesma equipe há dois anos, utilizando a técnica de lentes gravitacionais. Super-terra é a classe de exoplanetas com massa entre 1 e 10 vezes a massa terrestre.

De acordo com Giovanna Tinetti, também ligada ao UCL, a temperatura do novo exoplaneta situa-se entre 127 e 427 Celsius, mas segundo a cientista, próximo aos pólos a temperatura pode ser de apenas 77 graus.

A maioria dos quase 290 planetas descobertos até agora são gigantes similares a Júpiter, mas também já foram encontrados exoplanetas até 10 vezes menos massivos que a Terra. No caso de GJ 436c, os modelos indicam que pode se tratar de um planeta rochoso e que seu raio seja 50% maior que o raio terrestre.

Arte: A concepção artística mostra o recém descoberto planeta, em amarelo, orbitando a estrela principal GJ 436. A descoberta foi possível a partir das perturbações causadas na órbita do planeta interno, mostrado em azul. Na seqüência, o cientista espanhol Ignasi Ribas, tendo ao fundo uma imagem simulada do exoplaneta descoberto por ele.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Quem não compreende um olhar, tampouco há de compreender uma longa explicação" - Provérbio Arabe