Segunda-feira, 26 jan 2009 - 10h55

Cometa C/2007 N3 aumenta de brilho e passa a 5.9 magnitudes

Os últimos dados observacionais indicam que o cometa C/2007 N3 Lulin atingiu magnitude de 5.9, suficiente para que possa ser visto sem o uso de instrumentos. No último relatório divulgado em 9 de janeiro pelo Apolo11 o brilho estimado do cometa era de 8 magnitudes, indicando que a cada dia o objeto ganha maior intensidade luminosa.

Apesar da magnitude atual permitir que C/2007 N3 Lulin possa ser observado à vista desarmada, isso só é possível em locais de muito baixa poluição luminosa e atmosférica. Como o limiar da visão humana só permite reparar objetos com magnitudes inferiores a 6, a observação direta de C/2007 N3 Lulin não é tão fácil, já que seu brilho de 5.9 está na fronteira da magnitude limite. Como informado da vez anterior, o uso de um binóculo ou telescópio permitirá uma observação mais fácil e confortável.

Diversos astrônomos amadores e profissionais de diversos cantos do mundo têm registrado imagens do cometa. A imagem acima foi feita por Chris Brennan, de Barbados, no último dia 24 de janeiro. Para fazer a foto Chris utilizou um telescópio de 180 milímetros de abertura e conseguiu até mesmo registrar a dupla cauda do cometa.

O cometa se aproxima cada vez mais da Terra e no dia 24 de fevereiro atingirá o perigeu, a apenas 59 milhões de quilômetros. Neste dia sua magnitude será mínima (brilho máximo) e poderá ser visto facilmente por qualquer pessoa, mesmo sem auxílio de instrumentos. Os melhores cálculos indicam que durante o perigeu C/2007 N3 Lulin atingirá magnitude 4, similar à intensidade da estrela Gamma de Libra, mostrada na carta celeste acima.


Observando o Cometa
Atualmente C/2007 N3 está nascendo no horizonte leste aproximadamente às 02h30 da madrugada e pode ser visto até que os primeiros raios de Sol ofusquem seu brilho. Para localizar o objeto utilize a carta celeste acima. Procure primeiro pelas constelações de Libra e Escorpião e em seguida localize a estrela Gamma de Libra. Trace uma reta entre esta estrela e Zuben Hakrabi, no outro vértice da constelação, também indicado na carta. O cometa estará no terço inferior dessa reta.

Como explicado, apesar do cometa ter atingido o limiar da percepção dos olhos humanos, ainda não é possível vê-lo facilmente à vista desarmada, a não ser em locais escuros com poluição luminosa e atmosférica muito baixa. Assim, é necessário o uso de um instrumento de ampliação que permitirá captar os brilhos mais tênues.

Com o passar dos dias a luminosidade do objeto será maior e os primeiros relatos de observações diretas começarão a surgir.

Artes: No topo, foto do cometa C/2007 N3 Lulin feita por Chris Brennan, de Barbados. Crédito: Spaceweather. Acima, carta celeste mostra a posição do cometa no dia 26 de janeiro de 2009, às 04h00. Crédito: Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"A recordação da alegria não é mais alegria / enquanto a recordação da dor é dor ainda" - Byron