Quinta-feira, 1 nov 2007 - 09h26

Cometa gigante se expande e brilha cada vez mais

Que o cometa 17p/Holmes está no céu e é facilmente localizável você já sabe. O problema é que desde que entrou em processo de outburst, no dia 23 de outubro, seu tamanho aparente não para de crescer e já ocupa um diâmetro próximo da metade de uma lua cheia. A diferença é que nossa Lua está a 380 mil quilômetros de distância, enquanto Holmes se localiza a nada menos que 242 milhões de quilômetros. Dessa forma, pode se deduzir que o círculo de brilho de Holmes tem sete vezes o tamanho do planeta Júpiter. E continua expandindo!

Visto através de um telescópio simples, Holmes já ocupa quase todo o campo de visão da ocular e ninguém sabe até onde vai essa expansão.

Até alguns dias atrás, Holmes não passava de um cometa de magnitude 17, ou seja, completamente invisível, mesmo através de instrumentos. Ninguém olhava para ele, já que nem com telescópios amadores dava para vê-lo. O brilho de Holmes era, até o dia 23 de outubro, 35 vezes mais fraco que o do planeta-anão Plutão.

Foi então que uma repentina explosão de brilho, conhecida como outburst, foi observada na constelação de Perseu, onde se localiza o cometa. Imediatamente a notícia se espalhou fazendo com que milhares de telescópios, profissionais e amadores, fossem apontados naquela direção.


O cometa
Holmes é um cometa periódico, que visita a Terra a cada 6.8 anos. Não há informações exatas sobre o tamanho real do seu núcleo, mas alguns especialistas especulam que tenha aproximadamente 10 quilômetros de diâmetro. O motivo do outburst também é indefinido, mas acredita-se que tenha sido causado por alguma rachadura no núcleo, que permitiu que o material gelado do seu interior vazasse no espaço e entrasse em processo de sublimação na presença dos raios solares.

17p/Holmes foi descoberto em 1892 pelo astrônomo inglês Edwin Holmes, que conseguiu ver o cometa pela primeira vez devido ao fenômeno do outburst.

17p/Holmes pertence a uma categoria de cometas chamada "Familia-Júpiter", caracterizada por um período inferior a 20 anos e pequena inclinação. Seu movimento está praticamente contido dentro da órbita de Júpiter e de acordo com a linha de pensamento atual, provavelmente tenha se originado dentro do cinturão de Kuiper, um grande reservatório de corpos gelados localizados além da órbita de Netuno.

Ao contrário do que se imagina, 17p/Homes não está se aproximando do Sol. Sua menor distância da estrela ocorreu no início de maio de 2007 e desde então já se afastou bastante. Atualmente sua distância do Sol é de 2.467 UA, ou seja, 367 milhões de quilômetros.


No Brasil
Para localizar o cometa 17p/Holmes é só usar a carta celeste mostrada abaixo. Ela mostra a visão que um observador tem ao olhar para o Norte às 02h00 da madrugada, mas nada impede que possa ser visto antes e depois desse horários, desde que a constelação de Perseu esteja acima do horizonte.

Se o tempo permitir, experimente fazer algumas observações. Se conseguir fotografar o cometa, melhor ainda. Envie sua foto que a publicaremos em nossa galeria, exatamente como fez o astrônomo Valmir Morais, de Juazeiro do Norte, CE, que captou diversas fotos do cometa.

Veja galeria de fotos dos internautas

Fotos: No topo, mosaico mostra o tamanho aparente de 17p/Holmes comparado à Lua cheia. Na seqüência, modelo de órbita do cometa, gerado pelo JPL, Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa. Para manipular o aplicativo clique sobre ele.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Quem não compreende um olhar, tampouco há de compreender uma longa explicação" - Provérbio Arabe