Quinta-feira, 5 mar 2009 - 09h35

Conspiração? General russo diz que americanos abateram satélite

Teorias conspiratórias existem ao montes e quase sempre "os militares" estão envolvidos em alguma ação "secreta" ligada às atividades espaciais e que poucos mortais têm conhecimento. Dessa vez a teoria conspiratória, ou não, vem de um alto oficial militar russo, que afirma categoricamente que o acidente entre os dois satélites ocorrido recentemente não foi obra do acaso, mas de uma orquestrada missão americana de defesa e destruição espacial.

A colisão sem precedentes ocorreu no dia 10 de fevereiro (2009) à 01h43 pelo horário de Brasília e envolveu o satélite comercial norte-americano Iridium 33 e o russo Cosmos 2251, quando ambos orbitavam a região da Sibéria, no extremo norte da Rússia, a uma altitude de 790 km acima da superfície.

Até o momento as causas exatas não foram divulgadas e ambas as nações deram a entender que a colisão dos satélites havia ocorrido por acidente. No entanto, na visão do General Leonid Shershnev, ligado ao comando da inteligência militar da Rússia, a colisão entre os satélites é parte do projeto americano de pesquisa de "duplo propósito" chamado Orbital Express, iniciado em 2007.

A Orbital Express era uma missão gerenciada pela DARPA, Agência de Projetos e Pesquisas Avançadas para Defesa norte-americana e conduzida por pesquisadores do Centro de Vôo Espacial Marshall, da Nasa. De acordo com a DARPA, o programa tinha o objetivo de validar a exequibilidade de técnicas robóticas de reabastecimento autônomo e reconfiguração de satélites no espaço, e seria usada no apoio à grande gama de satélites americanos destinados à segurança do país.

Segundo oficiais americanos a missão Orbital Express terminou em julho de 2007 com todos os objetivos alcançados. No entanto, em entrevista concedida à agência de notícias russa Novosti, o general Shershnev afirma que os militares americanos continuaram secretamente o projeto e desenvolveram tecnologias que permitem monitorar e inspecionar satélites em pleno espaço através de equipamentos robóticos.

Segundo Shershnev, a colisão de fevereiro é uma clara indicação de que os americanos aprimoraram o sistema e utilizaram o Iridium 33 para testar uma nova tecnologia capaz de manipular a órbita de satélites hostis e até mesmo destruí-los com um simples comando de terra.


Arte: Concepção artística mostra possível colisão entre dois objetos no espaço.. Crédito: Apolo11.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"A recordação da alegria não é mais alegria / enquanto a recordação da dor é dor ainda" - Byron