Quinta-feira, 28 out 2010 - 09h02

Contagem regressiva: Deep Impact se aproxima do cometa Hartley 2

Na próxima semana, a sonda espacial norte-americana Deep Impact deverá se aproximar a apenas 700 quilômetros do cometa Hartley 2. Durante a visita, os instrumentos a bordo da nave registrarão bem de perto as erupções de gás, além de mapear a superfície do cometa. O objetivo é aumentar o conhecimento sobre esse astros e entender melhor como os planetas se formaram. Esta é a quinta vez que um cometa será observado tão de perto.

Sonda Deep Impact
Clique para ampliar

As observações científicas do Hartley 2 começaram em 5 de setembro e agora, no dia 4 de novembro, a sonda fará sua aproximação máxima do cometa estimada para às 10h01 EDT. A missão deve começar na noite do dia 3 de novembro, 18 horas antes do momento da maior proximidade do núcleo do cometa.

“Hartley 2 já proporcionou um grande show com algumas surpresas para a equipe científica da missão”, afirmou o integrante Mike A'Hearn da Universidade de Maryland, em College Park. "Esperamos mais do que o inesperado durante o encontro”, disse A'Hearn.

Aproximação
A fase de encontro da sonda começa no dia 3 de novembro, quando o artefato estiver a apenas 18 horas do ponto de maior aproximação. Neste momento, a sonda cessará a transmissão através de sua antena de alto-ganho e se posicionará de modo que os sensores mantenham o cometa no alvo das câmeras pelas próximas 24 horas.

Durante a fase de encontro, todas as imagens captadas serão armazenadas na memória flash dos dois computadores de bordo. Sete horas depois, os computadores reorientarão a espaçonave, permitindo que a antena de alto-ganho aponte novamente para a Terra, mas sem que as câmeras percam a visão do núcleo cometário.

Quando a antena estiver apontada corretamente, a Deep Impact fará o upload dos dados e imagens da aproximação, ao mesmo tempo em que novas imagens e informações continuarão a ser coletados. Segundo os engenheiros do JPL, Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, o processo de download poderá levar diversas horas.

De acordo com o cientista Mike A'Hearn, ligado à Universidade de Maryland, devido à forma como a memória interna é gerenciada, as imagens da aproximação máxima não chegarão à Terra em tempo real. "Só teremos as primeiras impressões de como o núcleo desse cometa difere do Temple 1 a partir das 5 primeiras cenas que chegarem", disse A'Hearn.


Temple 1
A sonda Deep Impact está em sua segunda missão. Antes, a sonda produziu um verdadeiro espetáculo celeste ao arremessar um projétil em direção ao cometa Tempel 1, em julho de 2005.


Ao vivo
Fique ligado. Como em outras ocasiões, o Apolochannel transmitirá ao vivo a aproximação da sonda através da Nasa-TV e um Chat estará disponível para os internautas trocarem idéias entre si. Não percam!


Fotos: No topo, concepção artística mostra o momento em que a sonda Deep Impact (impacto profundo) atingiu o cometa Tempel 1, em julho de 2005. A missão foi extendida e passou a se chamar Epoxi e deverá se aproximar do cometa Hartley 2 em 4 de novembro de 2010. Acima, engenheiros do JPL fazem correção na órbita da sonda, em 27 de outubro ed 2010. No vídeo, a agência espacial americana fala da importância do estudo sobre os cometas. Crédito: NASA/JPL-Caltech/Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Ler é entrar num continente que já foi percorrido por uma quantidade de pessoas antes, mas que continua virgem, de uma certa maneira" - José Saramago