Quarta-feira, 06 abr 2005 - 21h35

Continuam os preparativos para o lançamento da nave Discovery

Como parte da primeira missão de retorno da NASA aos vôos espaciais, o ônibus espacial Discovery deverá partir ao encontro à Estação Espacial Internacional (ISS) levando alimentos, ferramentas e peças de reposição.

A missão, conhecida oficialmente como STS-114, será a primeira do ônibus espacial após a tragédia da nave Columbia, em fevereiro de 2003.

Uma das novidades da missão será o embarque do módulo Raffaelo. De acordo com os engenheiros da NASA, envolvidos na missão, Raffaelo é um módulo multifuncional, uma espécie de container high-tech. Este container deverá acomodar os suprimentos da estação espacial que serão usados pelos astronautas Sergei Krikalev e John Phillips, membros da Expedição 11 e que estarão a bordo da ISS quando a Discovery se acoplar.

"É uma carga razoavelmente limpa para este tipo de módulo, comparada a todas as coisas restantes que estamos levando na missão", disse Scott Higginbotham, diretor da NASA para a missão STS-114.

Para aumentar a segurança da Discovery, os engenheiros aumentaram em 15 metros o braço robótico do ônibus, bem como dotaram de sensores de impacto as bordas principais das asas.

Segundo a veterana astronauta Eileen Collins (foto), comandante da atual missão STS-114, "o compartimento central também será equipado com ferramentas e instrumentos".

Ainda segundo Collins, a Discovery também levará alimentos suficientes para que os astronautas da estação Espacial possam se manter por um longo período de tempo no caso da estação sofrer algum tipo sério de dano.

Collins também é responsável pelos testes de novos procedimentos de segurança dos vôos espaciais. Durante a missão STS-93, em julho de 1999, Collins foi a primeira mulher a comandar um ônibus espacial.

A missão STS-114 da Discovery está programada para ser lançada na metade de maio deste ano e será a primeira de um ônibus espacial desde o dia 1 de fevereiro de 2003, quando a nave Columbia foi lançada.

Desde o acidente com a Columbia, a Estação Espacial Internacional - ISS - tem dependido exclusivamente da nave russa Progress para os vitais re-abastecimentos.

Raffaelo
Construído pela Agência Espacial Italiana, Raffaelo é um dos quatro containers de carga projetados para transportar suprimentos à ISS a bordo do ônibus espacial. Cada módulo foi projetado para prender 16 racks dentro do compartimento de carga do ônibus espacial, e que podem ser transferidos à ISS e esvaziados do lado de dentro.

Segundo Higginbotham, Raffaelo levará somente 12 racks com alimentos, totalizando 1.170 quilos.

O módulo também levará a bordo a "Instalação de Pesquisa Humana 2", ou HRF-2, uma espécie de estação científica desenhada para aumentar a capacidade biomédica da ISS. O módulo será instalado dentro do laboratório Destiny, a bordo da estação.

"Para mim, a montagem do novo laboratório a bordo da ISS é uma das tarefas mais importantes do programa", disse o engenheiro de vôo John Phillips, membro da Expedição 11.

Giroscópios e plataformas

A equipe da Discovery também irá transportar uma das maiores peças de equipamento, esperada há muito tempo pelos astronautas e engenheiros que trabalham no projeto da Estação Espacial Internacional.

Um dispositivo de 281 quilos, chamado de Giroscópio de controle de Momentum (CMG) estará a bordo da Discovery para ser instalado na ISS durante uma das caminhadas espaciais previstas. O giroscópio deverá substituir um componente que foi danificado e ajudar a manter a orientação espacial da ISS. Os astronautas que farão a caminhada, Soichi Noguchi e Stephen Robinson, instalarão o CMG durante a segunda caminhada espacial.

Durante a terceira caminhada espacial, conhecida pelas siglas EVA (extravehicular activity), os dois astronautas irão prender uma plataforma de 690 quilos no exterior da ISS.

Apesar de Raffaelo partir com destino à ISS parcialmente cheio, quando retornar à Terra deverá ter sua capacidade máxima de carga atingida.

“Estaremos trazendo de volta uma grande quantidade de equipamentos russos, que são usados para acoplamento automático", disse Higginbotham. "Existe uma grande quantidade de itens norte-americanos que queremos trazer de volta para reparo e reutiliza-los futuramente. Também iremos estudá-los para saber quais foram as causas das falhas".

Higginbotham disse também que existe pelo menos 2400 quilos de material danificado ou que não foram usados, roupas sujas e outras coisas que estão "entulhando a ISS”.

Segundo o astronauta Michael Fincke, que serviu a bordo a ISS durante a Expedição 9, o retorno dos vôos do ônibus espacial é extremamente importante para que os EUA ganhem a auto-suficiência nestas missões.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O homem tem de estabelecer um final para a guerra, senão a guerra irá estabelecer um final para a humanidade" - John Kennedy