Quinta-feira, 21 ago 2008 - 09h31

Esa lançará satélite para mapear a gravidade da Terra

Quando olhamos o vasto oceano que desponta frente aos nossos olhos, temos a impressão de que superfície da água é plana. No entanto, se utilizarmos instrumentos adequados veremos que a lâmina de água do oceano é na realidade um conjunto irregular, formado por vales e lombadas suaves. O motivo dessa irregularidade, imperceptível aos nossos olhos, é a força da gravidade, que não age de modo igual em todos os pontos da Terra.

Esclarecida por Isaac Newton no século 17, a gravidade é um das forças fundamentais da natureza, que faz com que tudo que possua massa seja atraída por ela em direção ao centro do planeta. Como a Terra não é uma esfera perfeita e em seu interior existem diversas zonas e camadas de diferentes densidades, a força gravitacional não atua de forma homogênea.

A atuação da gravidade e sua variação no espaço é fundamental para toda a dinâmica de processos que ocorrem na Terra e em seu interior. Sendo assim, quanto mais aprimorarmos nosso conhecimento de como a gravidade interage entre esses processos, mais aptos estaremos para compreender as transformações de nosso planeta.


GOCE
Para que possamos ter um panorama da atuação da força gravitacional na Terra e estudar suas implicações, é necessário lançarmos mão de um mapa do globo, um geoide, capaz de mostrar com bastante precisão as diferentes interações da gravidade nos diversos lugares da Terra.

Com a missão de mapear o campo gravitacional da Terra, a Agência Espacial Européia, ESA, lançará no dia 10 de setembro de 2008 o satélite GOCE, dotado de um conjunto de seis acelerômetros montados em forma de diamante. Segundo a ESA, o instrumento, chamado EGG será 100 vezes mais sensível do que qualquer sensor de gravidade atualmente em órbita.

A disposição dos acelerômetros permitirá ao EGG (Electrostatic Gravity Gradiometer) medir pela primeira vez as anomalias do campo gravitacional em todas as direções e não apenas na vertical, como tem sido feito até agora.


Lançamento
90 minutos após ser lançado, O satélite GOCE (Gravity field and steady-state Ocean Circulation Explorer) será liberado no espaço a uma altitude de 280 quilômetros. Durante 45 dias o arrasto atmosférico fará o satélite cair naturalmente até atingir a altitude nominal a 260 quilômetros, onde permanecerá pelos próximos 20 meses.

Quando em operação, GOCE terá uma de suas faces sempre apontando para o Sol. Essa face carrega quatro painéis solares montados na estrutura externa e mais dois painéis abertos em forma de asa. Todo o conjunto pesa 1100 quilos e suportará variações extremas de temperatura entre 160ºC e -170ºC.

Os painéis solares fornecerão toda a energia necessária aos instrumentos do satélite. Quando os painéis não receberem a luz solar a energia será suprida por um conjunto de baterias de lithium-ion.

Artes: No topo, concepção artística mostra o satélite GOCE a 260 quilômetros de altitude, onde se vê o conjunto de painéis solares montados sobre o corpo e em forma de asa. No detalhe, o satélite em fase de preparação nas instalações de Thales Alenia, Turin, Itália. Créditos: ESA/GOCE.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Ler é entrar num continente que já foi percorrido por uma quantidade de pessoas antes, mas que continua virgem, de uma certa maneira" - José Saramago