Terça-feira, 18 abr 2006 - 06h58

Estados Unidos reposiciona satélite sobre a Amazônia brasileira

Os Estados Unidos confirmaram nesta segunda-feira que o satélite geoestacionário GOES-10 será deslocado de sua posição atual e reposicionado sobre a Amazônia Brasileira.

Atualmente o satélite se encontra posicionado sobre o Pacífico desde 2003 como parte do projeto GEOSS, Sistema de Observação Global Terrestre, uma aliança de mais de 60 países com o objetivo de unificar as observações do planeta até 2015.

De acordo com o governo americano o objetivo é continuar fornecendo imagens da América do Sul mesmo durante a temporada de furacões do Atlântico Norte, que se inicia em junho. Normalmente, durante a temporada de furacões, a NOAA - Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, dos EUA, comanda seus satélites de modo a melhor imagear a região conhecida como "setor das tempestades severas", tornando a captação de imagens sobre a América do Sul, desguarnecida.

A notícia é boa para os meteorologistas sul-americanos, que durante a temporada de furacões poderá contar com o fornecimento ininterrupto das imagens geoestacionárias.

Segundo Gregory Withee, administrador dos Satélites e Serviços de Informações da NOAA, o órgão acredita que essa manobra possa servir de exemplo para que a América do Sul também compartilhe suas observações para tornar mais preciso o trabalho de previsão global.

Há décadas os sul-americanso recebem as imagens dos satélites GOES, mas por serem norte-americanos, o sistema de escaneamento, conhecido com radiômetro, é apontado para a região de interesse dos EUA.

Os satélite GOES enviam regularmente imagens da Terra em diversos comprimentos de onda, desde o visível até o infravermelho e são largamente utilizados no monitoramento de tempestades, incêndios, medições de temperatura continental e do nível do mar, além do mapeamento dos níveis e distribuição de ozônio.

O satélite GOES-9 foi lançado em 1997 e situa-se exatamente sobre a linha do equador, a uma altitude de 36 mil quilômetros. Nesta altitude, o satélite leva 24 horas para completar uma volta ao redor do globo. Como essa velocidade é a mesma que a Terra leva para dar uma volta ao redor do eixo, o satélite parece estacionado sobre o mesmo ponto. Daí o nome geoestacionário.

Foto: Imagem do satélite GOES recebida diariamente pelo Apolo11.com

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Quem não compreende um olhar, tampouco há de compreender uma longa explicação" - Provérbio Arabe