Segunda-feira, 4 jan 2016 - 11h05
Por Rogério Leite

Fim do mistério: encontrada a cratera deixada na Lua pela missão A

Pesquisadores estadunidenses confirmaram terem encontrado a cratera deixada na Lua pelo impacto do foguete Saturno 5, em 1972. O propulsor foi usado para levar a missão Apollo 16 à Lua e até agora seu destino era desconhecido.

Local de impacto do propulsor S-IVB, usado pela missao Apollo 16 em abril de 1972
Local de impacto do propulsor S-IVB, usado pela missão Apollo 16 em abril de 1972. Crédito: NASA/Goddard/Arizona State Universit.

A descoberta foi feita a partir de imagens coletadas pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter, LRO, que circula a Lua desde 2009. Anteriormente, a LRO já havia localizado todos os pontos de impacto dos propulsores das missões Apollo 13, 14, 15 e 17.

De acordo com os responsáveis pela LRO, a cratera mede cerca de 40 metros de diâmetro e se encontra no interior de Mare Insularum, a 260 km do sudoeste da cratera Copérnico, uma das mais proeminentes feições observáveis no disco lunar.

A cratera foi formada pelo impacto do propulsor S-IVB, terceiro estágio do gigantesco foguete Saturno 5.

A partir da missão Apollo 13, em 1970, todos os terceiros estágios das missões Apollo eram programados para impactar sobre a superfície da Lua, criando uma espécie de "tremor" capaz de ser registrado pelo sismógrafo instalado pelos astronautas da missão Apollo 11, três anos antes. O objetivo era estudar as camadas internas da Lua através da propagação das ondas sísmicas produzidas.


Crateras muito rasas
Todas as áreas de impacto dos S-IVB foram estimadas a partir de antigos dados de rastreio, mas ninguém tinha certeza onde estava o propulsor da Apollo 16, uma vez que o contato com o artefato foi perdido alguns minutos durante a queda na superfície.

As crateras deixadas pelo impacto dos S-IVB são muito mais rasas do que aquelas deixadas por asteroides e cometas, o que dificultou a detecção. O motivo é que a densidade desses propulsores é muito baixa e se deslocam em velocidades muito pequenas, de 2.6 km/s. Quando impactam a Lua, forma cratera pouco profundas, da ordem de centímetros de profundidade.

Segundo os responsáveis pela descoberta, o local do impacto estava a 30 km do local estimado pelos modelos matemáticos e levou cerca de 15 meses para ser encontrado nas fotos da LRO.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Os homens deveriam fazer com suas esperanças o que fazem com suas galinhas: cortar suas asas para que não possam fugir voando" - Lorde Halifax