Sexta-feira, 26 out 2012 - 11h39
Por Rogério Leite

Foto mostra 84 milhões de estrelas. Mas afinal, onde estão todos?

Uma foto divulgada recentemente revelou a maior quantidade de estrelas já registradas em uma única imagem. A cena mostra 84 milhões de estrelas apenas na Via Láctea, onde estima-se existirem entre 200 e 400 bilhões de estrelas. Com tantos sóis assim e infinitas possibilidades de vida extraterrestre, um conhecido físico italiano perguntou: afinal, onde estão todos?

foto mostra 84_milhoes de estrelas
Clique para ampliar

Esse célebre questionamento foi feito por ninguém menos que o famoso físico italiano Enrico Fermi, durante um almoço realizado em 1950. A frase ficou conhecida como o "Paradoxo de Fermi" e retrata a aparente contradição entre as gigantescas estimativas de possibilidade de civilizações extraterrestres e a falta de evidências concretas sobre sua existência.

O vasto número de estrelas aliado à idade do Universo indica que a Terra é possivelmente um típico planeta rochoso. Assim sendo, a vida extraterrestre deveria ser a coisa "mais comum do mundo", mas ao que tudo indica, não é. Durante este almoço, realizado nos Laboratórios Los Alamos na companhia de Emil Konopinski, Edward Teller e Herbert York, Fermi questionou por que não havia sinais de civilizações extraterrestres avançadas, já que planetas como a Terra deviam ser comuns.

Equação de Drake
Tentando dar uma resposta ao "Paradoxo de Fermi", em 1961 o professor Frank Drake da Universidade de Harvard propôs uma complexa equação que tentava calcular a taxa de formação de estrelas na galáxia, qual a fração de estrelas que abrigaria planetas e o número de possíveis planetas habitáveis.

De posse desses dados, a equação de Drake responderia também qual seria a porcentagem de planetas que poderiam desenvolvem algum tipo de vida e sua possível fração de vida suficientemente inteligente e avançada para ser detectada por tecnologias diversas, além de responder por quanto tempo as civilizações poderia ser detectáveis.

A equação de Drake é na realidade um exercício de matemática e recebeu diversas críticas principalmente por que vários fatores se baseiam em conjecturas. Além disso, a equação não prevê a possibilidade de que outras civilizações possam sair da galáxia de origem para colonizar outras, o que envolveria equações de dinâmica populacional.

Vida na Via Láctea
Independente das críticas, em 1966 o astrofísico Carl Sagan utilizou a equação de Drake de uma forma muito objetiva e chegou a um número bastante conservador. De acordo com Sagan, a Via Láctea abrigaria pelo menos 1 milhão de seres comunicantes, embora anos mais tarde tenha dito que esse número era provavelmente muito maior.

Ao observarmos a gigantesca foto onde vemos "apenas" 84 milhões de estrelas, a pergunta que fica é: será que em algum desses inúmeros pontinhos haverá alguma civilização inteligente, como afirmou Carl Sagan em 1966? Ou será que vamos perguntar como Enrico Fermi em 1950: afinal, onde estão todos?


Foto: Imagem feita pelo telescópio de rastreio infravermelho VISTA, localizado no Observatório do Paranal do ESO, mostra cerca de 84 milhões em uma única cena. A foto original tem 2 gigapixels e contem 10 vezes mais estrelas catalogadas que qualquer estudo anterior. Crédito: ESO, Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"O homem tem de estabelecer um final para a guerra, senão a guerra irá estabelecer um final para a humanidade" - John Kennedy