Quarta-feira, 9 jan 2013 - 06h52

Manchas solares reaparecem e enchem o Sol de pontos negros

Nem bem terminamos um artigo sobre a pequena quantidade de manchas solares e o astro-rei tratou de mandar seu recado, salpicando na superfície da estrela nada menos que 196 manchas negras. Isso é uma contradição? Teremos finalmente as violentas tempestades solares?

Manchas solares em 9 de janeiro de 2013
Clique para ampliar

Pode até parecer ironia ou contradição, pois o artigo anterior falava justamente da pequena quantidade de manchas solares presentes nos últimos meses na superfície da estrela. Eram tão poucas que quando alguma aparecia os astrofotógrafos de plantão até comemoravam.
Mas foi só falar...

De uma hora para outra o Sol apareceu salpicado de pontinhos visíveis enquanto os instrumentos mais sensíveis registraram um aumento substancial no fluxo solar, que passou de 87 na última semana para nada menos que 155 nos últimos dias.

O interessante é que apesar da elevação repentina do fluxo e das manchas solares, não houve qualquer aumento no índice KP que mede a instabilidade ionosférica aqui na Terra. O índice permaneceu em KP=4 e não ocorreram auroras boreais ou distúrbios nas telecomunicações.

Mancha solar 1654
Clique para ampliar

Isso acontece porque apesar de o Sol estar "entupido" de manchas neste momento, não foram registrados flares de raios-x ou ejeções de massa coronal, as famosas explosões na superfície da estrela que arremessam bilhões de toneladas de gás ionizado em direção à Terra.
Sem as partículas carregadas se chocando contra a magnetosfera terrestre não há distúrbios eletromagnéticos de grande escala. Assim, as auroras não se formam, blecautes não acontecem, satélites não são danificados e as comunicações por rádio não são afetadas.


Manchas solares e Fluxo Solar
Apesar do número de manchas solares informado ser de 196 em 8 de janeiro de 2013, qualquer observador mais atento munido de um binóculo ou telescópio solar não conseguirá contar todas essas manchas. Para piorar, o número delas vai depender da capacidade de ampliação do instrumento e quanto mais potente, mais manchas verá.

Para evitar essa subjetividade, o número de manchas solares divulgado diariamente é calculado a partir do fluxo solar, uma espécie de ruído eletromagnético proveniente do Sol na frequência de 2.8 GHz, cuja intensidade é proporcional ao número de manchas.

O valor do fluxo solar varia bastante e está dentro de uma gama que vai de 60, quando o Sol está sem manchas até 300, quando muitas manchas solares estão presentes.

O número recorde de manchas solares para o atual ciclo solar 24 foi registrado em 21 de outubro de 2011, quando o Sol apresentou 207 manchas. E nem assim, tivemos uma super tempestade. Será que isso vai mudar?


Fotos: No topo, imagem do disco solar feita pelo satélite SDO (Observatório da Dinâmica Solar) da Nasa, mostra uma grande quantidade de manchas em 9 de jan de 2012, quando o número calculado era de 146. Acima, destaque para a mancha solar 1654, localizada na borda esquerda da estrela. Em alguns dias essa mancha estará voltada para a Terra com chances de explosões solares. Crédito: Nasa/SDO, Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"A recordação da alegria não é mais alegria / enquanto a recordação da dor é dor ainda" - Byron