Segunda-feira, 10 set 2012 - 11h20

Novos dados mostram nave Voyager 1 no limite do Sistema Solar

Trinta e cinco anos após ser lançada, a sonda interplanetária Voyager 1 parece que finalmente está deixando os limites do Sistema Solar. Dados registrados pela espaçonave mostram que a quantidade de raios cósmicos detectados cresceu muito nos últimos meses, uma prova de que o Sol está deixando de bloquear as partículas que atingem a nave.

Definir onde se localiza a fronteira do Sistema Solar não é uma tarefa fácil e também nunca foi feita anteriormente. Para os cientistas, essa zona fronteiriça é bastante ampla e se encontra onde o vento solar e o campo magnético da estrela não são mais capazes de bloquear as partículas altamente energéticas vindas do espaço exterior.

Com o objetivo de estudar os planetas do Sistema Solar, em 1977 os EUA lançaram as sondas interplanetárias Voyager 1 e Voyager 2, que após completarem sua missão seguiram viagem rumo ao desconhecido. Atualmente as sondas estão a mais de 18 bilhões de km da Terra, uma distância tão longe que os sinais emitidos por elas levam mais de 17 horas para serem captados.

Nos últimos seis meses, um dos instrumentos a bordo da nave - um contador de partículas de alta energia - passou a registrar uma quantidade muito maior de partículas do que aquela considerada "normal" para a posição onde a nave se encontrava. Mês após mês a contagem continuou aumentando e neste ritmo permanece até os dias atuais (setembro de 2012).

Para os cientistas do Goddard Space Flight Center, da Nasa, que estudam os dados das sondas Voyager, esse crescente aumento na detecção das partículas cósmicas da Voyager 1 não deixa mais dúvidas de que a nave chegou ao limite do Sistema Solar e está agora entrando no chamado espaço profundo.

O aumento da contagem das partículas já era esperado há muito tempo pelos pesquisadores, que teorizavam sobre essa possibilidade. Até a poucos anos a nave se encontrava dentro da heliosfera, uma espécie de bolha de proteção criada pelo Sol e que impede que os raios cósmicos penetrem intensamente no Sistema Solar. Assim, enquanto estava dentro dessa bolha a contagem de partículas carregadas registrada pela Voyager 1 se mantinha dentro dos níveis normais, já que a atividade Sol era suficiente para bloquear a chegada dos raios cósmicos.

Agora, com o aumento constante na contagem das partículas registradas pela nave, os pesquisadores acreditam que a Voyager 1 tenha atingido a região externa da heliosfera. Para os astrofísicos, o número de partículas detectadas deverá crescer ainda mais nos próximos meses até se estabilizar, indicando que a nave atingiu finalmente o espaço profundo.


Artes: No topo, posição atual das naves Voyager 1 e 2, localizadas supostamente na região de interface entre a heliosfera e o espaço profundo. Acima, gráfico divulgado pela Nasa mostra o aumento constante na contagem de partículas altamente energéticas registrada pela Voyager 1. Para os pesquisadores, esse aumento indica que o Sol não está mais bloqueando os raios cósmicos vindos dos confins do Universo e que a sonda está deixando a região de influencia solar. Créditos: NASA/GSFC, Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Quem não compreende um olhar, tampouco há de compreender uma longa explicação" - Provérbio Arabe