Segunda-feira, 18 jul 2011 - 08h34

Sonda chega à Vesta e inicia estudo inédito do Sistema Solar

No último sábado, 16 de julho, a sonda estadunidense DAWN se tornou a primeira nave a entrar na orbita de um objeto situado no cinturão de asteroides entre Marte e Júpiter. O objetivo será estudar o asteroide Vesta por um ano antes de prosseguir sua missão ao planeta-anão Ceres.

A confirmação da entrada na orbita do asteroide foi feita através de dados de telemetria enviados pela sonda, mas o instante exato de quando isso ocorreu ainda é desconhecido.

Segundo engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, JPL, a captura da sonda dependia exclusivamente da massa de Vesta, que ainda está sendo estimada através de dados dos dados enviados. Se Vesta é mais massivo, a gravidade também é mais forte e atraiu a sonda mais cedo. Se A massa de Vesta é menor, a gravidade também é mais fraca e a sonda levou mais tempo para entrar no domínio gravitacional do objeto.

Com a sonda em órbita, os engenheiros poderão agora fazer medições mais precisas da massa e da gravidade de Vesta.


A Missão
O objetivo da missão Down é caracterizar as condições e processos que ocorreram no início do sistema solar. Para isso serão investigados em detalhes os dois maiores proto-planetas que permaneceram intactos desde a sua formação.


Junto com outros objetos, Ceres e Vesta orbitam em uma extensiva zona entre Marte e Júpiter, conhecida como Cinturão de Asteroides. Cada um deles passou por processos evolucionários e dinâmicos muito diferentes, que ocorreram nos primeiros milhões de anos durante formação do sistema solar.

Vesta se localiza a 120 milhões de quilômetros da Terra e o tempo estimado para a missão ao redor do asteroide é de 12 meses. Em seguida a sonda acionará novamente seus motores de íons, que a levará para um novo encontro, desta vez com o planeta-anão Ceres, previsto para 2015.

Quando se aproximar dos objetos, os cientistas e o público interessado terão acesso a uma grande variedade de novas imagens nunca vistas até então, incluindo montanhas, canions, crateras, fluxos de lava, calotas polares e possivelmente antigos leitos de lagos e desfiladeiros.



Foto: Imagem do asteroide Vesta, obtida em 9 de julho de 2011. A cena foi feita durante o período de aproximação, quando a nave estava a uma distância de 41 mil quilômetros de Vesta. Na imagem, cada pixel equivale a 3.8 km. Crédito: Nasa/JPL/Apolo11.com.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Se os outros desistem da aposta todas as vezes que em que você tem uma boa mão, é porque está escondendo o jogo" - Curtis Jonhson