Quarta-feira, 8 dez 2010 - 11h07

Sonda japonesa falha e não consegue entrar na órbita de Vênus

Quase sete meses depois de lançada, a sonda japonesa Akatsuki não conseguiu entrar na órbita venusiana como estava previsto. Segundo os cientistas, a nave acionou os motores de inserção no momento programado, mas uma falha ainda não identificada fez com que o artefato ultrapassasse o ponto de entrada na atmosfera, arremessando a sonda em direção ao espaço.

Sonda japonesa Akatsuki

Os primeiros sinais de que algo estava incorreto foi percebido logo após o acionamento dos motores, quando a sonda se localizava atrás do planeta. Devido à posição, os engenheiros esperavam um blecaute de comunicação de aproximadamente 22 minutos, mas o silêncio só foi quebrado quase 1 hora e meia depois, quando o contato foi restabelecido.

"Confirmamos que a nave Akatsuki não foi injetada na órbita planejada", disse o chefe do projeto Masato Nakamura. "Lamentamos profundamente que não tenhamos conseguido corresponder às expectativas do público", completou o especialista durante a conferência de imprensa.


Paciência Nipônica
Apesar da falha, a missão não está perdida. Segundo a agência espacial japonesa, JAXA, o erro na inserção não impedirá que a missão seja completada. O acionamento incorreto fez com que a sonda entrasse em uma órbita altamente elíptica em torno do planeta, o que permitirá que uma nova tentativa seja feita dentro de sete anos. Neste momento, Akatsuki não tem combustível para corrigir a órbita e reduzir esse tempo.

Objetivo
Akatsuki (que significa Alvorada) deveria entrar na órbita de Vênus e estudar o planeta pelos próximos dois anos estudando, coletando dados sobre a atmosfera e o clima com detalhes sem precedentes.

Um dos principais objetivos seria determinar como Vênus - em muitos aspectos semelhante à Terra - tornou-se um mundo tão inóspito, com espessas nuvens de ácido sulfúrico e temperaturas de superfície capazes de derreter até chumbo.

Akatsuki, também conhecida como Vênus Climate Orbiter (VCO) ou PLANET-C (as sondas planetárias japonesas recebem o nome PLANET-XX antes do lançamento) é a primeira sonda japonesa destinada ao estudo de Vênus. Tem uma massa ao lançamento de 500 kg e sua estrutura principal mede 1,04 x 1,45 x 1,4 metros. Se conseguir entrar na órbita planejada, sobrevoará o planeta em uma altitude que deverá variar entre 300 km e 80 mil km, com um período entre órbitas de 30 horas.


Este artigo é baseado em matéria enviada pelo colaborador Jose Ildefonso.


Artes: No topo, concepção artística mostra a sonda Akatsuki inserida na órbita venusiana. Na sequência, vídeo mostra detalhes da missão. Crédito: Jaxa/APOLO11.COM

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Amargas são as lágrimas derramadas, mas ainda mais amargas são as que não se derramam" - Provérbio irlandês