Quinta-feira, 4 out 2007 - 11h17

Sputnik: 50 anos de Era Espacial - Parte 4

Logo após o início da Era Espacial, os Estados Unidos já tinham pretensões bem maiores do que simplesmente ficar dando voltas ao redor da Terra, e isso não era segredo nenhum. Em 1961 o então presidente John Kennedy, em discurso histórico, determinava que a nação levasse um homem à Lua antes do final da década, e o trouxesse em segurança.

Logo após a criação da Nasa, o então administrador suplente criou o programa "Homem no Espaço" e deu o nome de Mercury ao projeto inicial. Em seguida os primeiros astronautas foram selecionados nas forças armadas. Também foi ordenado a Wernher von Braun que desenvolvesse um foguete de 680 toneladas de empuxo, algo até então inimaginável. Mas para chegar a Lua a força deveria ser ainda maior. Muito maior.

O Projeto Mercury foi extremamente bem sucedido, colocando diversos homens no espaço, acoplando naves e realizando os primeiros passeios em pleno espaço. O acúmulo de conhecimentos era a chave para chegar á Lua e cada etapa do aprendizado significava maiores chances de sucesso.

Paralelo ao projeto Mercury, um outro programa, extremamente ambicioso, se desenvolvia: o Projeto Apollo, que levaria de fato um astronauta até a Lua.


Projeto Apollo
O início do programa Apollo foi tragicamente negativo. Em 27 de janeiro de 1967, durante as simulações feitas em terra, um gigantesco incêndio causado por um curto-circuito, provocou a morte dos três astronautas a bordo da Apollo-1: Gus Grissom, Edward White e Roger Chaffee. Esse acidente fez os diretores da Nasa mudarem radicalmente a forma como o programa estava sendo conduzido. A partir daquele momento, todas as fases, componentes e qualquer coisa que fizesse parte da missão, deveria ser checado não somente duas vezes, mas quantas vezes fossem necessárias. Até outubro de 1968, diversos testes foram realizados, mas nenhum envolveu tripulações.

Em 11 de outubro de 1968 a Nasa colocava em órbita da Terra a Apollo 7, a primeira missão tripulada do projeto Apollo. Por ser uma missão em órbita terrestre para estudos de viabilidade e com pouca carga, foi usado um foguete do tipo Saturno IB, mais barato que o gigantesco Saturno V, usado nas missões seguintes.

O poderoso Saturno 5 foi usado pela primeira vez em 21 de dezembro de 1968, quando a Nasa lançou a Apollo 8, com três astronautas a bordo. Esta missão não estava planejada e foi escalada na última hora para evitar que os soviéticos fossem os primeiros a levar homens até a Lua. Esta possibilidade era eminente, já que os soviéticos a pouco tinham sido bem sucedidos ao circum-navegar a Lua em missões Zond não tripuladas.

A Apollo 8, com os astronautas Frank Borman, James Lovell e William Anders, foi a primeira nave tripulada a dar uma volta ao redor da Lua. No dia 25 de dezembro, em uma transmissão de rádio feita diretamente do espaço, desejaram a todos os povos votos de Feliz Natal. Dois dias depois retornaram à Terra.


Chegando lá
A Lua estava ficando cada vez mais perto e ninguém mais duvidava que pisar ali seria apenas uma questão de tempo. Era uma corrida contra o relógio. Anos antes, von Braun havia alertado que se os americanos não andassem rápido, ao chegar à Lua teriam que passar pela alfândega soviética.

Mas os americanos tinham um cronograma a seguir e no dia 18 de maio de 1969 a Nasa lançava a Apollo 10, com três astronautas a bordo e que faria os primeiros testes do módulo lunar. A nave orbitou o satélite a apenas 14 km da superfície da Lua. Era a maior aproximação até agora tentada.

Não havia mais o que esperar. Os russos tinham saído na frente, mas parecia que eram os americanos quem conquistariam o prêmio maior. E o grande dia chegou.

No dia de 16 de julho de 1969, impulsionada pelo Saturno 5, o maior foguete já construído pelo Homem, a Apollo 11 era lançada em direção à Lua. Tudo era gigante. O conjunto tinha mais de 110 metros de altura e abaixo dele um arranjo de 5 motores projetados pelo alemão von Braun forneciam mais de 3400 toneladas de empuxo, uma força tão grande que chega ser incompreensível. O peso total era de mais de 2900 toneladas e o barulho produzido podia ser ouvido a mais de 20 quilômetros da base de lançamento.

No topo desse monumento de energia, três astronautas iriam entrar para a história: O comandante Neil Armstrong, o piloto do módulo lunar Edwin Aldrin e o piloto do módulo de comando, Michael Collins. Estima-se que mais de 1 bilhão de pessoas estivessem assistindo ao lançamento.

A nave partiu. Durante os oito dias seguintes, olhos e ouvidos não desgrudariam mais dos aparelhos de rádio e TV e quatro dias depois, após intrincadas manobras espaciais e 384 mil quilômetros percorridos, a Apollo 11 entrava na órbita Lunar.


Respiração presa
O momento era tão dramático que na sala de comando da missão, em Houston, no Texas, não se ouvia nem o ruído da respiração dos controladores. O silêncio só foi quebrado quando após algumas correções de curso, usando a última gota de combustível, o comandante Neil Armstrong confirmou: "Houston, aqui Base da Tranqüilidade. A Águia pousou". Era 20 de Julho de 1969.

Em terra, as pessoas se abraçavam e não acreditavam no que viam, mas as imagens não paravam de chegar e algumas horas depois Neil Armstrong entrava para a história ao pisar pela primeira vez no solo lunar: "Este é um pequeno passo para o homem, mas um grande salto para humanidade". Com essa frase, sem saber, Neil Armstrong encerrava a corrida espacial, que tivera início em 4 de outubro de 1957. Em 24 de julho os astronautas retornaram à Terra e foram recebidos como heróis.


Final da Corrida
O ano de 1969 marca o final da mais acirrada competição tecnológica do século 20 e é impossível precisar a quantidade de vidas humanas que se perderam e o dinheiro gasto para o desenvolvimento da cada componente envolvido. Alguns analistas afirmam que somente o projeto Apollo consumiu o equivalente a 700 bilhões de dólares em valores corrigidos, enquanto outros afirmam que os números ultrapassam a casa de 3 trilhões de dólares.

Depois da Apollo 11, os americanos enviaram mais 6 missões com destino à Lua. A Apolo 13 não chegou a atingir o satélite, depois que uma explosão em um tanque de combustível obrigou a nave a retornar à Terra. Allan Shepard, o primeiro americano a ser colocado no espaço, esteve na Lua em fevereiro de 1971, junto com a tripulação da Apollo 14. A última missão a ir à Lua foi a Apollo 17, em dezembro de 1972.

Os russos ali estiveram também, mas usando sondas-robôs. Não havia mais por que gastar tanto dinheiro para ir à Lua. Não havia mais corrida e o caixa estava zerado. Era hora de recuperar o dinheiro gasto e a melhor forma de fazer isso era povoar a órbita terrestre com estações espaciais e veículos de transporte. Era hora de usar o espaço e os conhecimentos adquiridos.

Fotos: No topo, pegada da bota de Neil Armstrong na superfície lunar. Um marco histórico. No centro, Buzz Aldrin, fotografado por Neil Armstrong. Acima, uma rara foto de Armstrong, a frente do módulo lunar.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Dizer a verdade é tão difícil quanto ocultá-la" - Baltasar Gracin