Terça-feira, 29 jul 2008 - 16h00

Virgin Galatic apresenta ao público nave que fará turismo espacial

A empresa britânica Virgin Galatic apresentou nesta segunda-feira (28) a WhiteKnightTwo (WK2), responsável por levar ao espaço sua primeira aeronave comercial, a Spaceship Two.

A partir do ano que vem, a aeronave terá a função de transportar a Spaceship Two a uma altura de 15 km, de onde será lançada ao espaço. Em segundos, os turistas espaciais terão a experiência de voar a uma velocidade três vezes superior à do som e a uma distância de 110 km da Terra.

Durante cinco minutos, os turistas vão poder deixar seus assentos para flutuar e viver a experiência da ausência de gravidade. O espaço será visto através de grandes janelas circulares situadas nas paredes e no teto da fuselagem. Em seguida, a nave inicia seu retorno à Terra.

Os vôos são suborbitais,ou seja, aqueles que atingem o espaço, mas não chegam a realizar uma volta completa em torno do planeta.

A capacidade da nave é de oito pessoas, seis passageiros e dois tripulantes e os turistas vão desembolsar a quantia de US$ 200 mil cada um. Até o momento, 250 pessoas já estão com a passagem reservada para ir ao espaço. Na lista, está o brasileiro Bernardo Hartogs, de 53 anos.

A SpaceshipTwo ainda está sendo fabricada. A Virgin espera operar os primeiros testes com a WhiteKnightTwo no próximo semestre.

Arte: Concepção artísitica mostra a nave Spaceship Two, anexada ao WhiteKnightTwo (WK2), que a levará até 15 mil metros de onde será lançada ao espaço. Crédito: Virgin Galactic.

LEIA MAIS NOTÍCIAS
Base de Dados Completa

Se você precisa de uma base de dados de latitude e Longitude das cidades brasileiras, clique aqui.
Podemos fornecer uma base completa, com mais de 5500 cidades em formato Excel.
Ideal para Projetos, Desenvolvimentos e construção de aplicativos.














Termo de Uso  |   Links Úteis  |   Imprensa  |  Anuncie  |  Fale Conosco  |  Versão Celular  |   Política de Privacidade

Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2019

"Existem velas que iluminam tudo, menos o próprio candelabro" - Hebbel