Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Exploração Espacial
Segunda-feira, 24 set 2018 - 08h33

Robôs japoneses pousam em asteroide e tiram fotos durante saltos

A Agência Espacial Japonesa, JAXA, confirmou que os dois pequenos robôs da missão da missão Hayabusa2 desceram com sucesso na superfície do asteroide Ryugu. Como planejado, os robôs saltaram na superfície e enviaram as primeiras fotos da rocha espacial.

Primeira foto feita na superfície do asteroide Ryugu. A cena foi capturada pelo oala sobda ROBOT-1A, em 22 de setembro de 2018.
Primeira foto feita na superfície do asteroide Ryugu. A cena foi capturada pelo oala sobda ROBOT-1A, em 22 de setembro de 2018.

Segundo a JAXA, os robôs foram ejetados do módulo Minerva II-1 na sexta-feira, 21 de setembro, de uma altitude de 55 metros e não foram danificados, uma vez que a gravidade da rocha não tem força suficiente para criar uma força de impacto considerável.

Estima-se que a gravidade de Ryugu seja aproximadamente 60 mil vezes mais fraca que a da Terra, o que torna praticamente impossível aos robôs o habitual movimento sobre rodas. Assim, optou-se pelo método de deslocamento através de saltos, feitos através de uma pequena massa móvel acondicionada no interior de cada robô.


Foto feita pela sonda ROBOT-1B, instantes após a separação do módulo minerva II-1, de uma distância de 55 metros da superfície do asteroide Ryugu, em 21 de setembro de 2018.
Foto feita pela sonda ROBOT-1B, instantes após a separação do módulo minerva II-1, de uma distância de 55 metros da superfície do asteroide Ryugu, em 21 de setembro de 2018.

Os robôs, batizados Robot-1A e Robot-1B desceram em localidades diferentes de Ryugu e têm a função de coletar as primeiros impressões científicas do asteroide, como temperatura, radiação e intensidade gravitacional.


As primeiras fotos mostram a superfície do asteroide feitas durante os primeiros testes de propulsão.


Módulo Mascot
No próximo dia 18 de outubro, será a vez do módulo Mascot descer á superfície. A nave foi desenvolvida pela Agência Espacial da Alemanha, DLR, em conjunto da Agência espacial Francesa, CNES.

Mascot (Mobile Asteroid Surface Scout) carrega 10 quilos de instrumentos, que coletarão diversos dados científicos sobre o asteroide. Entre os instrumentos, Mascot carrega uma câmera grande angular capaz de registrar cenas em 10 comprimentos de onda diferentes, um microscópio digital para estudar os minerais da superfície, uma radiômetro para medir a temperatura e um magnetômetro, para estudar o campo magnético do asteroide.

Depois de chegar à superfície Mascot só poderá mudar de posição uma única vez, por meio de um salto.

Segundo os cientistas japoneses, a superfície de Ryugu é bastante irregular, o que faz com que os locais de pouso tenham que ser escolhidos com muito cuidado. Próximo ao polo sul do asteroide, por exemplo, há uma feição de 130 metros de altura.


Explosivo
Mais tarde, Outro módulo, batizado como Minerva II-2, também descerá na superfície de Ryugu e coletará dados. Segundo a JAXA, há planos para detonar uma pequena carga de explosivo com objetivo de estudar mais profundamente o asteroide.

Para completar a missão, a nave mãe Hayabusa-2 descerá em uma das crateras com o objetivo de coletar material. Alguns dias depois a sonda decolará do asteroide e trará o material recolhido para ser estudado na Terra.

Asteroide 162173 Ryugu
Batizado oficialmente de 162173 Ryugu, o asteroide tem cerca de 1 km de diâmetro e segundo os pesquisadores, foi escolhido por ser um tipo primitivo de rocha, uma espécie de relíquia que guarda muita informação desde a formação do Sistema Solar. Assim, seu estudo poderá revelar muita coisa sobre a origem e evolução do Sistema e principalmente do nosso planeta.

Atualmente (setembro de 2018) 162173 Ryugu está a 300 milhões de quilômetros da Terra, próximo ao período de conjunção solar, quando as comunicações entre a Terra e a missão serão interrompidas por alguns dias.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire