Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Furacões
Sexta-feira, 21 out 2005 - 06h58

Mortal, furacão Wilma já toca a península de Yucatán

As bandas externas do extremamente violento furacão Wilma já começam a tocar a península de Yucatán. Pesadas chuvas e ventos muito fortes já podem ser verificados em toda a região turística de Cozumel e Cancún.

Wilma é um violento furacão de categoria 4, com ventos próximos a 246 km/h. De acordo com especialistas em tempestades severas, ainda pode aumentar de intensidade nas próximas horas e atingir novamente a categoria 5 na escala Saffir-Simpson, com ventos superiores a 255 km/h.

Avisos de furacão se extendem à diversas cidades mexicanas, desde San Felipe à Chetumal. Avisos de tempestade também estão em vigor em Cuba, desde Havana até Pinar del Río.

O governo do México ordenou ontem a evacuação imediata de todos os turistas dos resorts da região. Em Cuba, o governo de Havana já evacuou aproximadamente 500 mil pessoas das costa oeste da ilha, às margens do canal de Yucatán. Nos EUA, o governador da Flórida, Jebb Bush, decretou estado de emergência.

Segundo os últimos modelos matemáticos gerados por supercomputadores (acima), Wilma deve adentrar o Golfo do México e rumar em direção nordeste, onde deve atingir grande parte da península da Flórida e alcançar novamente o Atlântico norte, margendo todos os estados da costa sudeste dos EUA.


Boletim
Em seu boletim número 23-A, emitido às 04h00 (Hora de Brasília), o Centro nacional de Furacões dos EUA informou que o olho de Wilma se localizava sobre as coordenadas 19.5 N e 86.1 W, ou aproximadamente a 140 km a sudeste de Cozumel, na Península de Yucatán, no México.

Wilma se move em sentido noroeste próximo a 9 km/h e um ligeiro giro em sentido noroeste é esperado para as próximas 24 horas. Mantendo este curso, o olho de Wilma deve passar sobre a região nordeste de Cozumel antes do meio-dia local. No entanto, devido ao tamanho da tormenta, seus efeitos já podem ser sentidos.

Os ventos máximos, sustentados durante 1 minuto, situam-se próximo a 240 km/h com rajadas de até 300 km/h. Wilma é um poderoso sistema categoria 4 e ainda pode aumentar de intensidade nas próximas horas.

Seus intensos ventos podem ser sentidos com força de furacão a mais de 140 km de distância desde o seu centro.

Ao norte da península, Wilma deve provocar ondas de até 4 metros, causadas pelo surto da tempestade, que é a elevação instável da água do mar, sugada para cima pela baixa pressão causada pela passagem de um furacão.

Dados de um avião de reconhecimento da força-aérea americana indicam que a pressão no olho do furacão é de 930 hPa (hectopascais)

  • Conheça a escala Saffir-Simpson


    Veja abaixo como se forma um furacão

    Satélite ao vivo
    Acompanhe as imagens atualizadas da região do golfo do México vistas através do satélite geoestacionário GOES-12.
    Clique aqui !







  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
    Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

    "Roubar não é só meter a mão na carteira das pessoas. Roubar é gastar errado com mordomias, com obras faraônicas, privilegiando quem já tem." - Ciro Gomes