Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Fenômenos Naturais - Furacões
Quinta-feira, 5 jan 2006 - 08h57

Tempestade Zeta regride à categoria de depressão tropical

Após uma semana sustentando ventos próximos de 100 km/h, finalmente a atípica tempestade Zeta começa a perder intensidade.

De acordo com o boletim 24, emitido nesta manhã pelo NHC - Centro Nacional de Furacões dos EUA, os ventos da tempestade diminiram significativamente de intensidade.

No momento do boletim, os ventos da tempestade, sustentados durante 1 minuto, registravam a velocidade de 55 km/h com rajadas de 85 km/h. Com essa intensidade Zeta deixa o perigoso patamar de tempestade tropical, situando-se agora na categoria de depressão tropical.

Ainda de acordo com o NHC, os ventos devem continuar a diminuir de intensidade nas próximas horas.

No momento do boletim a depressão movia-se a 19 km/h em sentido oeste e seu centro aproximado se localizava sobre as coordenadas 22.0 N e 47 W, 1730 km a este-nordeste das ilhas Leeward.

A pressão barométrica também subiu, e mede agora 1005 hPa.

  • Conheça a escala Saffir-Simpson


    Veja abaixo como se forma umfuracão

    Satélite ao vivo
    Acompanhe as imagens atualizadas da região do golfo do México vistasatravés do satélite geoestacionário GOES-12.
    Clique aqui !







  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
    Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

    "O acaso não existe; o que chamamos de acaso é o efeito de uma causa que não conhecemos" - Voltaire