Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Terremotos
Segunda-feira, 10 dez 2007 - 09h20

Técnicos investigam causas do tremor de 4,9 graus em Minas Gerais

Um tremor de terra de 4,9 graus na escala Richter deixou vítimas e assustou os moradores da comunidade rural de Caraíbas, a 35 km de Itacarambi, no norte de Minas Gerais, na madrugada deste domingo.

Técnicos do Observatório Sismológico de Brasília começam avaliar hoje, as causas do terremoto. Uma criança de 5 anos morreu e seis pessoas ficaram feridas. Os feridos foram atendidos em um hospital da cidade de Itacarambi, mas já foram liberados.

Segundo o professor de sismologia da Universidade de Brasília e responsável pelo Observatório Sismológico, Lucas Vieira Barros, os técnicos irão avaliar as informações de seis sismógrafos instalados em outubro na região norte do Estado. Serão realizadas medições locais e entrevistas com moradores.

"Não descartamos novos abalos. Vamos tentar identificar de onde exatamente partiu o sismo e auxiliar a Defesa Civil no sentido de orientar os moradores da necessidade de reforço nas residências", afirmou Barros. Um laudo a respeito das causas do terremoto deve sair até o final da semana.

O abalo também atingiu de forma mais leve, a cidade de Itacarambi e alguns pontos de Manga e Januária.

Em maio deste ano, o Observatório já havia registrado um tremor de 3,5 graus na escala Richter no mesmo local e chegou a avisar a Defesa Civil. Na ocasião, nenhum problema foi registrado.

Este é primeiro tremor de terra no Brasil a registrar uma morte. Casas foram danificadas e no total 380 pessoas estão desalojadas.

Segundo o governo de Minas Gerais, as seis casas atingidas pelo tremor serão reconstruídas. Colchões, cobertores e cestas básicas saíram de Montes Claros rumo a Itacarambi e serão doados às famílias atingidas.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Dignidade não consiste em possuir honrarias, mas em merecê-las" - Aristóteles