Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Terremotos
Terça-feira, 05 mai 2009 - 07h44

Tsunami pode ter varrido Nova York há 2.300 anos

Amostras de sedimentos enterradas sob Nova York e Nova Jersey podem indicar que alguma tempestade muito violenta, um dilúvio ou até um tsunami teria atingido a região há cerca de 2.300 anos.

A teoria é defendida por cientistas americanos da Vanderbilt University, em Nashville, no Tennessee. A verificação da data é feita por radiocarbono e outros métodos.

Os especialistas acreditam que algo muito violento aconteceu por volta do ano 300 a.c. As amostras de sedimentos recolhidas nos dois Estados reforçam as evidências de um tsunami ter ocorrido no Oceano Atlântico. As ondas gigantes teriam sido provocadas por um desabamento de terra no fundo do mar, ou até pela queda de um asteróide.

De acordo o cientista Steven Goodbred, um dos responsáveis pelo estudo, foram encontrados cascalhos, fósseis marinhos e sedimentos raros, datados de mais de 2 mil anos quando a cidade de Nova York nem existia.

Só uma onda gigantesca de 3 ou 4 metros de altura poderia ter transportado esse material. Especialistas afirmam que um tsunami no Oceano Atlântico é difícil, mas não é impossível acontecer. Um terremoto ou a combinação de dois abalos poderia ser a causa do fenômeno, sem descartar a hipótese da queda de um asteróide.

Em 1929, um tsunami atingiu a região de Grand Banks, em Newfoundland, no Canadá, matando 20 pessoas. Na época, um terremoto no fundo do mar provocou o fenômeno.

Hoje, um tsunami na costa de Nova York deixaria Wall Street e a rodovia Long Island Expressway totalmente submersas.

Foto: Região da Times Square, em Nova York. Uma onda gigante como ocorreu na Indonésia em 2004 poderia inundar a cidade americana. Crédito: Wikimedia Commons.







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ningém que não entenda." - Cecília Meireles