Espaço - Ciências - Fenômenos Naturais
Compartilhe! 

Editoria: Clima e Meteorologia
Terça-feira, 25 set 2007 - 08h06

Tornado atinge Rondônia com ventos de 150 km/h

Ji-Paraná, cidade localizada na região central de Rondônia, sentiu na última segunda-feira o medo e os efeitos de um dos fenômenos mais destrutivos e impressionantes da natureza: o tornado.

Com ventos sustentados de 150 km/h, a tempestade provocou um enorme rastro de destruição na cidade, varrendo uma faixa de mais de 2 km de extensão, além de provocar fortes temporais de granizo. Os impactos da tormenta impressionaram pela força destrutiva, o que obrigou as autoridades locais a declararem Estado de Emergência.

O calor tórrido de 27°C às 3 horas na madrugada desta segunda-feira já denunciava que o choque térmico com uma frente-fria vinda do Sul seria fatal. Em questão de duas horas, o céu mudou completamente passando de uma total calmaria sem nenhuma nuvem, com a lua brilhando cheia e clara, para um cenário totalmente tempestuoso, com raios e nuvens muito carregadas.

Até às 5 horas, nenhum indicativo de vento forte foi notado na região, totalmente contrário do que sempre acontece em episódios de frentes-frias que atingem o sul da Amazônia provocando o fenômeno da friagem.

Quando o relógio marcava 05h13min, milhares de pessoas que estavam deixando suas casas para o trabalho ficaram diante de uma tormenta imaginável até então, de ocorrer nesse ponto do Brasil. Um enorme redemoinho de coloração marrom desceu rapidamente próximo ao rio Machado, já Zona Leste da cidade sugando tudo o que encontrava pela frente. Muitas pessoas se desesperaram, pois o barulho das rajadas de ventos e gente gritando nas casas parecia cena de filme de ficção. Em um curto espaço de tempo, o funil do tornado atingiu o solo destelhando casas, estabelecimentos comerciais, arrancando árvores enormes pela raiz, tombando carros, arremessando placas de sinalização à distância e deixando uma marca incrível de destruição.

A tormenta não durou mais que 3 minutos no solo, mas foi suficiente para provocar uma faixa de destruição de pelo menos 2 km de extensão. Os dados de um anemômetro (aparelho que mede a direção e velocidade do vento) no campo experimental da Embrapa, indicaram rajadas de 149,8 km/h. A tormenta que foi muito localizada apenas na Zona Leste da cidade, não influenciou na medição da PCD (Plataforma de Coleta de Dados) que está instalada no SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia) próximo ao aeroporto José Coleto, que registrou ventos de 68,5 km/h.

Em muitos pontos, as cenas vistas nas primeiras horas da manhã, davam a crer que um bombardeio tinha atingido Ji-Paraná. A força do tornado, até hoje o segundo e mais forte já registrado em Rondônia, deixa marcas irreparáveis e um prejuízo estimado até agora em R$ 1 milhão.

Redação: Daniel Panobianco

Fotos: No topo, foto ilustrativa mostra funil escuro, semelhante ao tornado ocorrido na cidade de Ji-Paraná. Na seqüência, duas antenas, uma de rádio e outra de televisão, ambas com 73 metros de altitude ficaram retorcidas no chão após a passagem do tornado. As duas emissoras permanecem fora do ar na cidade. (Foto: CentralRondônia.com). Acima, A cobertura completa de uma quadra na Zona Leste da cidade veio ao chão e diversas folhas de zinco foram arremessadas até 300 metros de distância pela força assustadora do funil do tornado. (Foto: CentralRondônia.com)







Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2018
Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

"Dignidade não consiste em possuir honrarias, mas em merecê-las" - Aristóteles