Apolo11.com - Imagens de satélite, tecnologia e fenômenos naturais



Imagens de satélite e sensoriamento remoto

Nave movida por energia solar será lançada em outubro
São Paulo, 22 de Agosto de 2003
ÍNDICE GERAL   

Está marcado para outubro o lançamento da Cosmo-1, primeira nave espacial equipada com velas como as antigas caravelas e impulsionada com energia solar. A nave, idealizada pela Sociedade Planetária, criada pelo astrônomo Carl Sagan, em 1980, partirá do centro de lançamento de Babakin, na Rússia, onde ainda passa por testes.

O princípio das velas solares é semelhante ao das velas de vento. A Cosmo-1 seria impulsionada pela energia do Sol ampliada por uma espécie de espelho. O uso da luz solar como combustível propulsor de nave espacial é impraticável, segundo alguns estudiosos, mas possível de acordo com a Sociedade Planetária, que já reúne 100 mil participantes em 140 países.

A teoria do eletromagnetismo estabelece que a luz exerce pressão sobre os objetos. Esta hipótese foi confirmada experimentalmente no início do século passado. As partículas solares refletidas por um grande espelho colocado numa órbita ao redor da Terra exercem sobre ele uma pressão de 9 micronewtons por m² - cerca de dez gramas/peso por hectare.

Essa forma, embora pareça desprezível não o é se aplicada a um objeto de grande superfície e peso reduzido estando no espaço, em condição de queda livre e livre de atrito sobre sí. Assim, o Sol provocará sobre uma grande vela solar uma aceleração de cerca de 4 milímetros por segundo quadrado, milhares de vezes de vezes menor que a produzida por um foguete.

Todavia, um foguete só pode manter uma forte aceleração por minutos, enquanto a aceleração da vela, embora menor, se manterá pelo tempo em que receber a luz solar.

Texto em espanhol de Raúl Morales





IMAGENS DE SATÉLITES !    Clique e conheça nosso Vídeo Workshop de sensoriamento remoto e imagens meteorológicas.
Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2001 - 2019
Política de Privacidade

"Na política, a mentira de ontem é atacada somente para bajular a de hoje" - Jean Rostand