Imagens de satélites e sensoriamento remoto

PLANETA MERCURIO

  • Rotação: 58 dias
  • Translação: 87 dias
  • Diâmetro: 4878 km
  • Temp. Máxima: 427 C
  • Temp. Mínima: -173 C
  • Luas: 0
  • Composição da atmosfera: Helio, Sódio e Oxigênio

    Se um explorador andasse pela superfície de Mercúrio, veria um mundo semelhante ao solo lunar, repleto de montes ondulados e cobertos de poeira erodidos pelo constante bombardeamento de meteoritos.

    Existem escarpas com vários quilômetros de altura e centenas de quilômetros do comprimento. A superfície está ponteada de crateras.

    O explorador veria o Sol duas vezes e meia maior do que na Terra; no entanto, o céu é sempre negro porque Mercúrio praticamente não tem atmosfera e a que tem não é suficiente para causar a dispersão da luz.

    Se o explorador olhasse fixamente para o espaço, veria duas estrelas brilhantes. Veria uma com tonalidade creme, Vênus, e a outra azulada, a Terra.

    Antes da Mariner 10, pouco era conhecido sobre Mercúrio devido à dificuldade de o observar com os telescópios.

    Na máxima distância, visto da Terra, está apenas a 28 graus do Sol. Por isso Mercúrio só pode ser visto durante o dia ou imediatamente antes do nascer-do-Sol ou imediatamente depois do pôr-do-Sol.

    Quando observado ao amanhecer ou ao anoitecer, Mercúrio está tão baixo no horizonte, que a luz tem que passar através do equivalente a 10 vezes a camada da atmosfera terrestre que passaria se estivesse diretamente por cima de nós.


    Distâncias e Temperatura

    Mercúrio é o mais planeta mais próximo do sistema solar. Durante o afélio, a distância máxima ao Sol é de 77 milhões de quilômetros e durante o periélio é de 46 milhões.

    Devido à grande excentricidade de sua órbita, a temperatura eleva-se brutalmente quando está no periélio e de dia chega a atingir 430ºC. Durante a noite, do lado oposto, a temperatura cai para aproximadamente -180ºC, o que torna Mercúrio o planeta com a maior amplitude térmica do sistema solar.

    Imagens captadas por sondas mostram que Mercúrio é muito similar à Lua, devido à grande quantidade de crateras, no entanto sua composição química é muito parecida com a da Terra.

    Em Mercúrio não existe atmosfera, mas astrônomos já detectaram a presença de um tênue envólucro de hélio, que acredita-se tenha sido originado da transmutação de elementos radioativos como o Tório e Urânio, presentes nas rochas, podendo também ter sido levado pelo vento solar.

    Dados colhidos pela Mariner 10 em 1974 detectaram a existência de campo magnético, o que evidencia que o interior do planeta tenha núcleo metálico. Essa idéia é reforçada pela elevada densidade de Mercúrio, da ordem de 5,44 g/cm3.
    Na superfície esta densidade é de 2,4 g/cm3 o que supõe que seu núcleo tenha uma densidade de aproximadamente 6,5 g/cm3.

    Esses valores fazem supor que seu núcleo corresponda a 70% da massa total, além de mostrar que Mercúrio tem uma gravidade muito parecida com a de Marte, mesmo sendo menor que ele.

    Com a gravidade quase o dobro da lunar e a sua grande proximidade do Sol, os impactos dos meteoritos são muito intensos, o que provoca deformações diferentes na superfície.

    Além disso, a gravidade mais intensa também faz com que a matéria arremessada percorra uma distância até vinte vezes menor que na Lua, modelando de forma diferente as crateras do planeta.

    Foto: No topo, Mercurio visto pela sonda norte-americana Mariner 10 no dia 29 de março de 1974. Acima, imagens registradas pela sonda Messenger em 6 de outubro de 2008 mostram o planeta em 11 comprimentos de onda diferentes, fundidos em duas imagens falsamente colorizadas. Crédito: NASA/Johns Hopkins University/APL/JPL.




  • Apolo11.com - Todos os direitos reservados - 2000 - 2017
    Política de Privacidade   |     Termo de Uso e Licenciamento   |  -   Entre em Contato

    "O destino de qualquer nação, em qualquer época, depende das opiniões de seus jovens entre 5 e 20 anos" - Goethe